Vou comprar um roteador novo, pesquisei e repasso o que aprendi (melhores roteadores até R$400,00 em 2021)

Por Arnaldo V. Carvalho*

Multilaser | ROTEADOR MULTILASER GIGABIT AC2600 8 ANTENAS - RE016 | Suporte  Multilaser

Mil e uma opções no mercado, com mil e um preços e mil e uma promessas tecnológicas. E nenhuma delas durará muito, por causa da obsolescência programada. Assim é o mercado de eletrônicos, que torna toda compra um tormento não apenas para os mais exigentes, mas para aqueles que querem minimamente ter certeza de que a compra vai pelo menos atender às necessidades.

Assim é com a compra de roteadores. Será que atende, será que vai mesmo conseguir fazer o sinal da Internet pegar na casa toda?

Moro em um apartamento antigo, com cerca de 100m2, de paredes, portas grossas e muitos azulejos (tudo isso dificulta a propagação do sinal). O modem da operadora de Internet não alcança a casa toda de jeito nenhum. A solução é a aquisição de um roteador.

Para isso, gastei um tempo pesquisando e conversando com amigos da área de tecnologia… Tenho alguma noção de tecnologia e redes, e mesmo assim não foi fácil. Por isso, compartilho aqui o resumo do que encontrei, na tentativa de ajudar brasileiros a cortar caminho (não sei como está o mercado de roteadores em outros países.

O básico do que descobri – e a definição dos meus critérios de escolha

Há como comprar roteadores desde R$79,00, proveniente das lojas online chinesas (cuja chegada atravessa a aventura de impostos incógnitas, falta de informação e suporte, etc.), até alguns milhares de reais. A média, em reais, gira entre R$200,00 e R$400,00. De forma um pouco “mais detalhada”, posso dizer que os modelos mais básicos custam um pouco menos do que os valores mencionados; os mais sofisticados de um pouco mais até próximo dos mil reais, e os “só compram empresas, pessoas ricas, gamers profissionais etc.” são aqueles de milhares de reais. O valor dos roteadores começou a definir meus critérios de escolha.

Meu primeiro critério de escolha, baseado no que encontrei, era o limite: comprar um roteador que não ultrapasse os R$400,00.

Já tinha a informação de que o número de antenas faz bastante diferença, mas não bastam: é preciso que elas tenham tecnologias internas capazes de turbinar o envio/recepção. De qualquer forma, os melhores roteadores dessa categoria de preço tem pelo menos 4 antenas.

Além disso, a velocidade máxima das transmissões permite que a gente filtre os roteadores mais potentes. Dá para encontrar com facilidade a DualBand, tecnologia que transmite em 2.4ghz e 5.0, por isso não vale abrir mão. A de menor frequência tem maior alcance, a de maior frequência, mais velocidade. Em geral, os bons nessa faixa de preço transmitem a pelo menos 1200Mbps (na banda rápida) e 300Mbps (na banda de alto alcance). [Mbps = MEGABYTES POR SEGUNDO].

Outras tecnologias importantes que o roteador deve apresentar

Dois nomes que o roteador nessa faixa precisa apresentar: Beamforming e MU-MIMO. A primeira amplia o alcance e a qualidade do roteador. A segunda é a tecnologia MU-MIMO (a sigla quer dizer “Multi-Usuário – multiple-input and multiple-output), que está presente em alguns dos roteadores mais top nessa faixa, que distribui de modo inteligente as transmissões. Ela ajuda muito quando há vários aparelhos na casa conectados na Internet. Então digamos, em uma casa com 3 celulares, TV, tablets e computadores, sem dúvida vale a pena que haja essa nova tecnologia. Finalmente, parece importante que o roteador já venha pronta para se comunicar com IPv6, o que faz com que ele se comunique melhor com outras tecnologias da Internet.

Os roteadores pré-selecionados

Pensando nisso tudo, fiz uma primeira lista de roteadores, utilizando o comparador de tecnologia Versus e os comparadores de preço Zoom, Shopping Google e também dando uma olhada nos chineses Wish e AliExpress (pura perda de tempo).

  • TP-LINK Archer C-80
  • TENDA AC-23
  • TENDA AC-10
  • XIAOMI 4A
  • TP-LINK Archer C6
  • Multilaser GIGABIT AC2600 RE-16

Então, podemos dividir essa lista entre os “chineses” (Marca TENTA e XIAOMI), e os que tem fábrica/escritório, suporte técnico no Brasil. Os roteadores Tenda de fato oferecem preços muito competitivos com alta tecnologia, e o Xiaomi vem pelo Wish, site chinês. Excluí todos esses para não ter que lidar com suporte, questões técnicas, etc.

Então ficamos com 3 opções, que aqui vou colocar em ordem de valor:

  • TP-LINK Archer C6
  • TP-LINK Archer C-80
  • Multilaser AC2600 RE-16
  • A TP-LINK é a marca mais tradicional no que se refere a roteadores, então muitos preferem a marca. De fato, o C-80 parece um supersônico e tem bom preço (encontrei por cerca de R$350,00). Logo abaixo deste vem o C6, que deu para encontrar por R$280,00, um jatinho particular bem em conta na comparação com o outro. Mas a Multilaser disponibilizou um “disco voador”, e como comparar ultrassônico com disco voador? O AC2600 RE-16 simplesmente é daqueles que pertenceria a outra categoria, mas está com preço encontrável no topo da faixa da que estou procurando. É como aquelas notícias de que um lutador avantajado fez uma dietinha para passar no teste que o permite lutar numa faixa de peso menor. Encontrei ontem por R$396,00 com frete (Kabum). Hoje o menor preço que encontrei já foi R$455,00 com frete (Mercado Livre). Então ficamos assim, três roteadores, um razoável por cerca de 300 reais, um excelente por 350 reais e um outro incrível por 400 reais (já vi ele ser vendido por mais de R$800,00.

    É hora de conferir junto aos compradores o que eles acham dos produtos.

    O que dizem os consumidores

    Para falar a verdade, esse item pesou pouco, porque ao olhar as avaliações dos três produtos na Amazon, no Mercado Livre e no Kabum, o resultado geral é positivo para os três – embora sempre haja aqueles que dizem que o aparelho não funciona a contento. Nota: imagino que não interesse a muita gente, mas alguns consumidores acusaram de que este aparelho é da marca Totolink, que a Multilaser só importa e põe seu selo. Não conheço o fabricante, mas o suporte no Brasil é Multilaser, então está valendo.

    Tecnologia Mesh, uma tentação que evitei

    A tecnologia Mesh de roteadores: consiste em um sistema de “bloquinhos”, onde você compra mais de um aparelho Mesh (há algumas marcas diferentes no mercado), que “conversam” uns com os outros facilmente. A ideia é espalha-los estrategicamente pela casa, e eles gerenciam o sinal com confiança. Parece ótimo! Mas como instalar e configurar isso sozinho? Não quis arriscar.

    * Arnaldo V. Carvalho, pai, escritor, pedagogo, terapeuta, cidadão esforçado por facilitar a própria vida e a dos outros. ESTE NÃO É UM ARTIGO COMERCIAL, APENAS UM RELATO PESSOAL DA PESQUISA QUE FIZ COMO CONSUMIDOR.

    Gen Con online 2021 tem programação histórica de jogos e educação em português

    A grande temporada dos grandes eventos de jogos de tabuleiro está chegando! E a educação pede passagem!

    Aprendiz De Professor

    Conheçam as atividades de jogos de mesa (não eletrônicos: tabuleiro, cartas, RPG) e educação da Gen Con – um dos maiores eventos de jogos de mesa do mundo. A programação específica em português, dedicada a educação, está toda reunida em um site específico sobre o tema: https://educacaogencon2021.wordpress.com/

    Espero que gostem. Estamos nos esforçando para levar aos educadores novas abordagens lúdicas, aos que já trabalham com isso poderem se desenvolver, e aos jogadores, a possibilidade de conhecerem mais sobre as potencialidades humanas do jogar.

    Capa do site com a programação de jogos e educação da Gen Con 2021 em português

    Parcial da Agenda de atividades, presente no site.

    Detalhe da página, com informações sobre os palestrantes

    Uma das páginas na plataforma Gen Con Online oficial, com uma das atividades de jogos e educação em português. Através do site brasileiro é possível acessar diretamente cada uma das atividades na plataforma.

    View original post

    Arnaldo “de Barros”: haicais serelelepípedos

    Arnaldo “de Barros”: haicais serelelepípedos

    O vento mugiu feliz, ao atravessar o capim fresco.
    (Arnaldo V. Carvalho)

    *

    Em paz, o sol contemplou o pôr-da-humanidade.
    (Arnaldo V. Carvalho)

    *

    A formiga comprou uma cigarra, acendeu e seguiu trabalhando, certa de que o prometido inverno jamais lhe chegaria.
    (Arnaldo V. Carvalho)

    03/08/2021

    Amo Manoel de Barros! E você? Gostou de algum nessa pequena homenagem? Repasse! Tens os seus? Coloque nos comentários!

    Abraços, Arnaldo

    *

    No planeta fome, em que a pobreza torna-se comorbidade fatal ante ao COVID-19, Elza Soares acalanta a alma e encoraja o espírito.

    Arnaldo V. Carvalho

    “De que planeta você veio?”, perguntou jocosamente Ary Barroso a Elza Soares em 1953, que então tinha apenas 23 anos. “Do planeta fome”, disse a impetuosa menina, que naquele momento já era mãe (primeira gravidez logo após o casamento forçado aos 12 anos), tinha perdido os primeiros filhos para a desnutrição, e buscara o programa em uma tentativa desesperada de sobreviver. Elsa, que se tornaria diva da música nacional, a maior cantora do milênio (BBC), vencedora de Grammy (2016) e indicada para outros 4… Elza, nesse momento aos 91 anos, segue lançando álbuns, se apresentando, e arrasando com suas ideias pelas redes sociais. Elza… dispensa apresentações.

    Assisti recentemente, via Youtube, o musical em sua homenagem. Pela primeira vez chorei em menos de cinco minutos de início, e chorei de novo no meio, e de novo no fim. É muita força impressa pelo combo de mulheres negras à frente, e mulheres de todas as cores atrás, nos instrumentos e em tantos outros papeis para fazer desse um dos grandes musicais brasileiros de todos os tempos. No cenário em que hoje vivemos, Elza o musical respira a essência de Elza, a resistir a todo o projeto de destruição de vidas que se vive como nunca no Brasil, com o rosto levantado. A dignidade ninguém pôde lhe roubar, e assim é para quem se conectar a essa vibração.

    Até o dia 8 de agosto, é possível assistir gratuitamente ao musical em sua homenagem, no Youtube.  Quinta a domingo, às 20h, no YouTube da Sarau Agência: https://www.youtube.com/user/SarauAgencia. RECOMENDO!

    Sobre meu capítulo no super livro “Brincar e Educar”

    Comprar Livros em Brincadeiras e Jogos | Filtrado por Mais Vendidos

    O capítulo sobre jogos de tabuleiro passa por uma rápida diferenciação entre os jogos de tabuleiro e suas versões mais atuais, construídos sob as premissas de design de jogos de tabuleiro, surgida na virada do século XX para o XXI, e então entra na pegada prática, de como se utilizarem os jogos em educação. A ideia é apontar para o básico do que se preocupar para que os jogos sejam uma ferramenta bem utilizada e aprendentes e educadores possam viver uma experiência recompensadora de ensino-aprendizagem através deles. Adiciono ao capítulo um vídeo especial, acessado a partir de um QR Code incluso no próprio livro, com conteúdos complementares a este. Acho que no final ficou uma experiência introdutória proveitosa para aqueles que estão começando a perceber o poder dos jogos de tabuleiro em educação.

    O geral do livro

    Este livro compõe a incrível coleção da Editora Supimpa, toda focada em educação lúdica.

    Como a própria editora apresenta em seu site:

     A obra nasce da nossa inquietação em apresentar caminhos para uma educação mais lúdica e que possa priorizar as experiências significativas para o desenvolvimento daquele que brinca, para todos! 

    No sumário, vê-se que são muitos os autores e temas, o que justificam as 350 páginas em formato A4:

    Sumário – Autores

    O brincar na sua essência (André Barros) / Interesses culturais para o brincar e o educar (Luiz Pina) / Jogos comperativos (Arnaldo Villa) / Brincadeiras psicomotoras (Elma Veloso) / Jogos de tabuleiro (Arnaldo Carvalho) / O brincar (Marina Capistrano) / Brincadeira, jogo ou esporte? (Fabricio Monteiro) / A riqueza do simples brincar (Luciane Farias) / Brincando para o futuro (Jouener Araújo) / Práticas holísticas na escola (Cristiane Pelozato) / O Brincar livre e a natureza (Vanice M. Godines) / O jogo como ferramenta terapêutica (Vânia Durão) / Quem quer brincar põe o dedo aqui (Sandra Bittencourt) / O brincar na Educação Infantil (Fabiana Vieira) / O brincar em Festas (Tiago Nunes) / Jogos cooperativos (Veronica Rikansrud) / O brincar (Luis Veneziani) / Brincar desde cedo (Vera Melis) / Contação de histórias inclusiva (Cleide Almeida) / Brinquedo natureza (Alex Alves) / O novo desafio da recreação (Emerson Dorigatti) / Recreação em Piscinas (Virgilio Abrahão) / Analogias e metáforas na educação (Luciana Moreira) / O brincar na primeira infância (Jérsica Kuhn) / O faz de conta e o Aprender (Fernando Nery) / A sinestesia da arte no brincar (Fabiana Temponi) / Onde queremos chegar com a educação? (Rafael Pontes) / O lúdico que habita em mim (Joice Santos) / Caça ao tesouro geográfico (Mirella Rosenberger) / Integração espontânea (Gabriel Teixeira) / O brincar como inspiração pedagógica (Cecilia Prando) / O brincar, a psicomotricidade e a educação (Luciana Imperador) / O imaginário e as narrativas infantis (Luciana Souza) / Se aprende língua estrangeira brincando? (Jéssica Xavier) / O brincar na família (Leticia Garcia) / Jogos de mesa inclusivos (Priscila Ribeiro) / Eu brinco, tu brincas e nós brincamos (Bruno Rossetto e Carmen Lopes) / O brincar da cultura afro-brasileira (Hugo Victor) / A recreação na espiritualidade (Gleison Ribeiro) / O brincar e a cultura (Camila Evelyn) / A história da boneca de pano negra (Mirela Arruda e Rita de Cássia) / Percepção visual na infância (Amalia Cardoso) / A intencionalidade pedagógica no brincar (Dirce Soares) / O professor como agente transformador (Mindrea) / A autoestima das crianças em vulnerabilidade social (Anderson Caetano) / Aprender, brincar e incluir (Marli Vizim) / O brincar livre e a natureza (Tatiane Teixeira) / Os jogos a as habilidades psicomotoras (Cristiane Nunes) / A música na aprendizagem infantil (Julio Anderson) / Estimulação psicomotora na escola (Vivian Mazzeo) / Obesidade infantil no Brasil (Everton Silva)

    Uma inovação do livro é que ele acompanha, utilizando QR Code, 60 vídeoaulas com conteúdos gravados pelos autores em seus capítulos.

    Brincar e Educar pode ser adquirido diretamente na editora, em:

    https://brincadeirasejogos.lojavirtualnuvem.com.br/produtos/brincar-e-educar-conceitos-praticas-e-inspiracoes/

    Ensino de história x doutrinação

    Leiam em:

    https://www.cafehistoria.com.br/professores-e-professoras-de-historia-sao-mesmo-doutrinadores/


    Citando:

    CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; MULLET, Nilton. Professores e professoras de história são mesmo doutrinadores? (Artigo) In: Café História. Disponível em: https://www.cafehistoria.com.br/professores-e-professoras-de-historia-sao-mesmo-doutrinadores/. Publicado em: 27 jul. 2021. ISSN: 2674-5917.

    É projeto.

    – É projeto.

    – Não, para. Apenas uma terrível coincidência. De fato o incêndio do Museu Nacional é algo triste, mas daí a dizer que é projeto? Não.

    – É projeto.

    – Olha só, isso não tem nada a ver. Foi comprado medicamento mas a imprensa quer desacreditar. Além disso tem muita coisa aí que tem sido plantada pelos comunistas. Genocidas são eles!

    – É projeto.

    – Querem colocar a culpa em quem? Os indígenas nem eram para estar ali.

    – É projeto.

    – Nada a ver. Os fazendeiros agora tem o direito de proteger suas terras e o governo só quis enaltecer esse benefício. Você não defenderia seu lar se pudesse?

    – É projeto.

    – Cinemateca? O que é isso?

    ESTAMOS VIVENDO UM INTERMINÁVEL PROJETO DE 4 ANOS.
    4 ANOS DO DIA DA MARMOTA ASSASSINA, TODOS OS DIAS.
    FREIEM O MONSTRO. QUEBREM A MALDIÇÃO. VOTEM DIFERENTE.
    ARNALDO V. CARVALHO

    Não basta.

    Crônica da cidade do Rio de Janeiro

    Escritor uruguaio Eduardo Galeano morre aos 74 anos

    No alto da noite do Rio de Janeiro, luminoso, generoso, o Cristo Redentor
    estende os braços. Debaixo desses braços os netos dos escravos encontram amparo.
    Uma mulher descalça olha o Cristo, lá de baixo, e apontando seu fulgor,
    diz, muito tristemente:
    — Daqui a pouco, já não estará mais aí. Ouvi dizer que vão tirar Ele daí.
    — Não se preocupe — tranqüiliza uma vizinha —. Não se preocupe: Ele
    volta.
    A polícia mata muitos, e mais ainda mata a economia. Na cidade violenta
    soam tiros e também tambores: atabaques, ansiosos de consolo e de vingança,
    chamam deuses africanos. Cristo sozinho não basta.

    Eduardo Galeano (1940-2015)

    Filhos: são da Vida.

    Teus filhos não são teus filhos.

    São filhos e filhas da Vida, anelando por si própria.

    Vêm através de ti, mas não de ti,

    E embora estejam contigo, a ti não pertencem.

    Podes dar-lhes teu amor, mas não teus pensamentos,

    Pois que eles têm seus pensamentos próprios.

    Podes abrigar seus corpos, mas não suas almas.

    Pois que suas almas residem na casa do amanhã, que não podes visitar sequer em sonhos.

    Podes esforçar-te por te parecer com eles, mas não procures fazê-los semelhantes a ti,

    Pois a vida não recua, e não se retarda no ontem.

    Tu és o arco do qual teus filhos, como flechas vivas, são disparados

    Que a tua inclinação, na mão do arqueiro, seja para a alegria.

    Khalil Gibran (1883-1931)

    Quem foi Kahlil Gibran? (6 de janeiro de 1883 – 10 de abril de 1931) –  Monitor do Oriente