Medo da grandeza

Nosso medo mais profundo

Tradução do original por Arnaldo V. Carvalho

“Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados. Nosso medo mais profundo é que nós somos poderosos além da medida. O que mais nos espanta é a nossa luz, e não nossa treva.

Nos perguntamos a nós mesmos, Quem sou eu para ser brilhante, belo, talentoso, fabuloso? Atualmente, quem NÃO É?

Você é um filho de Deus. Fazer-se de pequeno não serve ao mundo.

Não há nada de iluminado em encolher-se para as pessoas não se sentirem inseguras perto de você. Nós todos somos concebidos para brilhar, como uma criança o é. Nós nascemos para fazer manifestar a glória de Deus que está em nós.

Não é somente em alguns de nós; é em todos nós.

E ao permitirmos nossa própria luz brilhar, nós inconscientemente damos a outras pessoas permissão para fazer o mesmo. Ao liberarmo-nos de nosso próprio medo, nossa presença automaticamente libera outros”.

Marianne Williamson

*   *   *

Nota: Optei por traduzir diretamente do original, pois as versões em português que circulam na Internet me pareceram em alguns pontos mal elucidadas. Pequenos detalhes que o lusófono poderá interpretar nas sutilezas de modo muito aproximado mas não igual ao desejado pelo autor. Arnaldo

Nota 2: Esse texto é de autoria comumente atribuída a Nelson Mandela, e circula apócrifo na Internet. Nossa leitora Vasudeva nos salvou da gafe. Gratíssimo!

4 thoughts on “Medo da grandeza

  1. Um texto lindo. Se todos conseguissem enxergar a própria luz, permitiriam aos outros também enxergar esta luz e o mundo seria muito mais iluminado.
    Mas isto também vai da vontade individual em querer oferecer ao próximo algo. E só pode oferecer quem sabe ser possuidor de algo valioso. Todos possuem algo valioso para oferecer. Cada um tem algo com que contribuir.
    E quando descobre, brilha!

    Brilhemos todos.

    Um beijo enorme,

    Bia

  2. Olha o que está no verbete da autora no Wiki e em seu site.
    The famous passage from her book is often erroneously attributed to the inaugural address of Nelson Mandela. About the mis-attribution Williamson said, “Several years ago, this paragraph from A Return to Love began popping up everywhere, attributed to Nelson Mandela’s 1994 inaugural address. As honored as I would be had President Mandela quoted my words, indeed he did not. I have no idea where that story came from, but I am gratified that the paragraph has come to mean so much to so many people.”
    The poem was also included in the movie, Invictus, about Nelson Mandela and the South African Rugby team.

    • Maravilhosa contribuição amiga, muito obrigado, já corrigi! De fato, o texto não deixa de traduzir o que talvez a alma de Mandela tenha percebido e conquistado internamente, em seu tempo de prisão. Porém, nunca li um texto com tal brilho que realmente tenha sido escrito por ele. Talvez não fosse mesmo seu talento. Então viva Marianne Williamson!!! Gratíssimo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s