Nem tudo o que frustra é mal

Estes são o índice e o começo de uma historinha que criei ao longo do período de dissertação, onde me disciplinei a escrever no máximo uma página por dia, a título de refresco mental em horas de não rendimento. O resultado foi essa pitoresca história, começada como um ensaio sobre tecnologia e inteligência artificial, e terminada comédia romântica. Vou postar diariamente, cada dia um “fascículo”, porque como diz Oswaldo Montenegro, todo chato “diz que inventou uma música e toca as seiscentas que fez”. Espero que gostem.

Nem tudo o que frustra é mal

Por Arnaldo V. Carvalho*

LITERATURA EM FASCÍCULOS DE UMA PÁGINA

I Início

II Estupefato

III Maggie

IV O bunker

V Uma decisão perturbadora

VI Maggie loira

VII Recepção da obra

VIII A carta

IX Segredos de Maggie

X A casa caiu

XI Passeio

XII O ciúme de Maggie

XIII A guerra das IAs

XIV Tarde demais

XV Maggie insone

XVI O novo romance

XVII Violeta

XVIII O presente de Maggie

XIX Vida dupla

XX Só quero ser eu

XXI O bebê de rosemaggie

XXII Entrevista em Palo Alto (1), (2), (3), (4), (5)

XXIII Duas recepções no aeroporto

XXIV A mãe de Maggie

XXV Preso na torre

XXVI Nasce o bebê ou um bebê

XXVII Maggie e a IA

XXVIII Violetas na janela

XXIX Segredos de liquidificador

XXX O destino das máquinas de escrever

Epílogo e Extras

* Arnaldo V. Carvalho é escritor, terapeuta, professor, não necessariamente nessa ordem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s