trânsito.

Resultado de imagem para cecília meireles“Nasci aqui mesmo no Rio de Janeiro, três meses depois da morte de meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram contratempos materiais, mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a morte que docentemente aprendi essas relações entre o efêmero e o eterno (…) Em toda a minha vida , nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento mesmo da minha personalidade”.

Cecília Meireles (1901-1964)

Anúncios

Em meio a pressão, estamos quebrando? Uma nova chance ao amor, por favor!

Insanity laughs, under pressure we’re breaking
Can’t we give ourselves one more chance
Why can’t we give love that one more chance
Why can’t we give love?

Do Bowie e do Queen, uma pérola de sabedoria, com muita sintonia com o agora. Conheça a letra. (Arnaldo)

Letra e sua tradução: https://www.letras.mus.br/queen/64294/traducao.html

Porque não se isolar do falastrão nazista:

“Como era tentador, por exemplo, simplesmente ignorar o falastrão nazista. Mas por mais sedutor que possa ser render-se a tais tentações e isolar-se em sua própria psique, o resultado sempre será uma perda do humano junto com a deserção da realidade”.

Hanna Arendt, filósofa alemã-judia (1906-1975)

Imagem relacionada

O tema do amor e o tema do nascimento

Resultado de imagem para michel odent

“Tradicionalmente, o amor foi tema para poetas, escritores e filósofos mas hoje é estudado sob múltiplas perspectivas científicas. Nesse contexto, torna-se impossível referir e levantar questões sobre o desenvolvimento da capacidade de amar sem ter em atenção a importância do período em redor do nascimento.”

Michel Odent (1930-)