Tlinta e tiiinnco!

A primeira vez que assisti esse vídeo, rolei de rir. A piada em si não é extraordinária, caso não se tenha vivenciado o contato com certos chineses que assumem as vendas de bugigangas em bairros orientais como o da Liberdade, em São Paulo, o barrio chino em Buenos Aires, e outros. Como sou consumidor pró-ativo de camelôs e centros comerciais altamete populares (desses abarrotados de gente por todo o dia, mil lojinhas pequenas e velhas, mil ofertinhas, produtos de procedência duvidosa, qualidade rudimentar, além de caldo de cana com abelha e salgados gordurentos), especialmente de bairros orientais, vi mais de uma vez molequinhos chineses tomarem umas boas repreensões por mexer em algo; Alguns chinesinhos ficam por ali, na loja, provavelmente fora do período escolar (espero que vão). Cansei de tentar comprar itens com orientais que fingem não entender o que falamos, e usem isso como teatro no palco da negociação de preços e itens…

Por outro lado, motoboy pechincheiro, moleque clubberzinho querendo se dar bem e/ou nunca querendo pagar o que o vendedor quer, e finalmente, gente que vai fazer compra e fica falando no celular com alguém ao invés de ter um contato direto e atencioso para com quem está ali na sua frente (coisificando o vendedor) também tem de monte…

Enfim, esse cartoon é uma boa caricatura de um cenário cotidiano ainda muito presente em nosso país.