Dra. Heloísa Lessa, vencedora do prêmio 2019 HRIC CHAMPIONS!

Como anunciei há uns dias, Dra. Heloísa Lessa, que vem sendo perseguida pelas autoridades médicas no Brasil simplesmente por defender o direito de escolha da mulher (com todo o embasamento científico ao seu lado!), foi indicada para concorrer ao prêmio ,2019 HRIC CHAMPIONS da Ong internacional Human Rights in Childbirth (HRiC). Ontem, no Dia Internacional da Mulher, a HRiC anunciou que elas estava entre as campeãs! MUITO FELIZ! Merecidíssimo, Dra. Heloísa é a voz de defesa ao nascimento saudável, consciente, ecológico e de escolha da mulher!
Segue minha versão em português do anúncio resumido, feito por Facebook (O anúncio principalm encontra-se em: http://humanrightsinchildbirth.org/index.php/2019/03/08/announcing-the-2019-hric-champions-award-winners/):
HOJE, #8M, temos a satisfação de anunciar as Campeãs HRiC 2019!

Este é um reconhecimento pelas contribuições extraordinárias dos nossas Campeãs, para a realização dos direitos humanos durante o parto. As Campeãs serão embaixadores de HRiC por um ano.

Os Campeões HRiC 2019 são:

Midwife: Heloísa Lessa (Brasil)

Médica: Gloria Esegbona (Reino Unido)

Ativista: Sylvia Bahr (Honduras)

Advogada: Francisca Fernández Guillén (Espanha)

Nesta ocasião entregamos também o Prêmio Campeã Agnes Gereb, um prêmio especial que celebra as pessoas que têm promovido a causa dos direitos humanos no parto em condições extremamente adversas, e que podem ter sofrido assédio, assédio, sanções profissionais, perseguição legal , criminalização e até atos de violência física direta.
Este ano, sentimo-nos honrados por conceder o prêmio à pessoa que leva o seu nome: a parteira e obstetra Agnes Gereb, da Hungria.

Saiba mais sobre os nossos vencedores aqui:

http://humanrightsinchildbirth.org/index.php/2019/03/08/announcing-the-2019-hric-champions-award-winners/

Anúncios

Apoio à Dra. Heloísa Lessa

Mulher grávida, tocar, barriga, com, cuidado, em, quarto

Há muitas evidências de que o parto domiciliar, respeitadas certas circunstâncias de segurança, oferece vantagens em relação ao hospitalar. Deve, portanto, ser uma escolha da família, com suporte de equipe profissional qualificada. A principal obstetra domiciliar do Brasil é a doutora em obstetrícia Heloísa Lessa. Sua tese de doutorado demonstra cientificamente que a condução profissional de qualidade torna o ambiente familiar estatisticamente mais seguro que o hospitalar. Ela é internacionalmente conhecida, tendo falado no mundo inteiro sobre o tema. É, ainda, a grande interlocutora da maior autoridade em Saúde Primal (gestação, nascimento e começo da vida) mundial no Brasil: Dr. Michel Odent, tendo sido a fundadora do Instituto Michel Odent, responsável por traduções de seus livros e preservação de acervo acerca de sua obra.

Dra Heloísa Lessa está para ser indicada ao prêmio “Champion”, da ONG internacional Human Rights in Childbirth.

A indicação desse prêmio é um contramovimento, porque ela está sendo injustamente caçada pelo Conselho de Medicina do Rio de Janeiro. Tal contramovimento representa o coro de muitos profissionais da área, de famílias beneficiadas pelo direito à informação e escolha, e para a população brasileira que hoje é vítima frequência de violência obstétrica em todo o seu território.

Abaixo, copio a carta original que recebi, hoje, acerca do movimento que se formou acerca dessa grande causa. Infelizmente as inscrições possíveis, como verão, se encerram hoje. Mas ainda dá tempo de contribuir.

Por favor, leia a mensagem, e reserve alguns minutos para preencher o formulário e apoiar a Dra. Heloísa Lessa. É apoiar o amor e a seriedade profissional no momento mais decisivo da Vida.

Arnaldo V. Carvalho, 15 de fevereiro de 2019

APOIO PARA HELOÍSA LESSA

Caros amigos, a nossa companheira, Dra. Heloísa Lessa, está sendo atacada judicialmente por oferecer um atendimento de qualidade para suas pacientes. Sua prática de atenção domiciliar ao parto é reconhecida em todo o Brasil e também fora do país, e talvez por isso mesmo tenha sido o alvo das agressões judiciais. Este caso objeto do ataque não se trata sequer de um resultado ruim no nascimento – que pode ocorrer a despeito da qualidade do atendimento – mas pela simples utilização de um orçamento de parto enviado para fins de reembolso. A ação capitaneada pelo CREMERJ se trata do conhecido “Lawfare”, mecanismo onde instituições poderosas atacam indivíduos atingindo o ponto mais fraco dos movimentos: cada um de nós. “Se não é possível atacar as ideias, ataquemos os mensageiros”.

Por outro lado, existe uma forma de ajudarmos a Dra. Heloísa a garantir seus direitos e também para auxiliar na luta das mulheres pelo protagonismo pleno de suas escolhas no parto. Trata-se do PRÊMIO CAMPEÃO, promovido pela “Human Rights in Childbirth”, que é uma organização criada por voluntários e experts do mundo todo que luta pelos direitos das mulheres nas questões de maternidade. Todos os anos é escolhida uma parteira, uma médica e uma advogada para receber este prêmio.

O prêmio campeão celebra os indivíduos que promoveram a causa dos direitos humanos no parto em condições extremamente adversas, e que podem ter enfrentado ou enfrentam intimidação, assédio moral, sanções profissionais, perseguição legal, criminalização e até mesmo atos de violência física direta. O prêmio visa a conscientização pública de líderes inspiradores em direitos humanos no parto e as lutas que enfrentam.

HELOÍSA LESSA merece receber este prêmio por seu trabalho em favor do parto humanizado, pelas suas lutas por uma maternidade livre e pelas suas batalhas em direção ao pleno protagonismo das mulheres nas escolhas do parto. Podemos ajudar o movimento de humanização do nascimento oferecendo para uma parteira brasileira esta distinção internacional!!

A DATA LIMITE É 15 de FEVEREIRO!!!

Clique aqui:

http://humanrightsinchildbirth.org/index.php/human-rights-in-childbirth-

AUXÍLIO PARA O PREENCHIMENTO RÁPIDO DO FORMULÁRIO:

Aparece uma tela com uma foto de parto, se vc rolar para baixo vai encontra uma caixa cinza com os dizeres “nominate a Champion” CLICAR AQUI

1a caixa: seu nome
2a caixa: seu endereço
3a caixa: seu e-mail
4a caixa: HELOÍSA LESSA
5a caixa: Rua Almirante Alexandrino 3226/402 Rio de Janeiro, RJ – Brazil, CEP: 20241-266
6a caixa: heloisalessa@terra.com.br

Caixa “Please describe the nominees contribution to Human Rights in Childbirth (max. 2000 characters)”:

Her work has contributed to the humanization of childbirth in a scenario (Brazil) in which obstetric violence prevails. Her work as a midwife not only helped hundreds of women and families at birth, but also contributed to the formation of midwives and doctors with relevant scientific information for the physiology of childbirth. Her work as an activist has contributed to the discussion and difusion of humanization in childbirth

Caixa “Please describe adverse social, legal or cultural situations that have made the nominees work difficult or challenging (max. 1000 characters) *”:

She has been subjected to legal persecution by the Rio de Janeiro medical council, trying to stop her work and interfere with women’s right to choose. At a time when Brazil suffers from a backward wave and persecution of human rights activists, the recognition of her internationally is very important.

3 Referencias:
Maysa Luduvice Gomes
maysa.luduvice@gmail.com
Sabrina Lins Seibert
sabrinalinsseibert@gmail.com
Ricardo Chaves
ledochaves35@gmail.com

Gestação em toda a parte

O consultório onde atendia, na Rua Real Grandeza, era habitado por Heloísa Lessa, a papisa do parto ecológico, Rodrigo Vianna, obstetra humanizado e meu ilustríssimo irmão. Em toda a parte, as referências à gestação, parto e nascimento podiam ser vistas, em fotos, panfletos, esculturas. Essa é uma gestante escupida pelo filho do Mestre Vitalino, e nos olhava de um cantinho ao lado da pia do banheiro, enquanto acarinhava eternamente sua barriga cheia de Vida.

Publico essa imagem em homenagem à ginecologista Dra. Belinha, minha avó, que se viva hoje faria 102 anos. Foto tirada em 2011. (Arnaldo)

cel_claro 049.jpg

Uma parteira na selva de pedra

Enquanto fazia minha formação em Gestação e Parto Ecológico com feras como Michel Odent, Heloísa Lessa, Ricardo Chaves e Laura Uplinger, percebi o quanto essa maneira de preparar e receber novos habitantes no Planeta Terra carece de voz.  Por mais que  a sociedade se manifeste interessada no assunto, parece haver um “desinteresse intencional” por parte da mídia. Fico pensando o quanto divulgar representa ameaça a uma indústria predadora, que há muito direciona os veículos de comunicação e se torna a grande formadora de mentalidade em todo o mundo.

Daí que surgiu a ideia de utilizar a Internet, ainda o meio mais democrático, para fazer essa maneira de ver as coisas poder ser lida, escutada, debatida. Não há interesse em impor coisa alguma, apenas de apresentar uma outra possibilidade, um ponto de vista incrívelmente desconhecido por boa parte das pessoas, por mais natural que um dia tenha sido.

Foi assim que rodamos esse vídeo. Ele é o piloto de uma série de mini-entrevistas que estão sendo preparadas com especialistas ligados a gestação e parto. Foi feito de forma bastante amadora, apenas pela crença de que uma nova consciência precisa surgir no ser humano. Por ele mesmo, pela Terra, pelos filhos, pelos e por tudo o que vem.

Nessa entrevista Diana Schneider conta um pouco sobre sua trajetória como auxiliar em trabalhos de parto e seu trabalho de consciencia corporal para gestantes envolvendo música e dança.

Para saber mais sobre seu trabalho acesse:

https://dianaschneider.wordpress.com/
http://www.facebook.com/groups/santamae/
http://www.facebook.com/StudioDharmaG…

Hawaii sediará o maior congresso sobre nascimento e saúde primal do mundo. 26-28 outubro 2012

La “Gran llamada al despertar en Honolulú” será presentada como una conferencia sobre el futuro de la humanidad. Su objetivo primordial, en la era de la oxitocina sintética y las técnicas simplificadas de la cesárea, es despertar la curiosidad sobre el

futuro de la capacidad de amar: deberá inspirarnos preguntas sobre la evolución de las relaciones entre los seres humanos y entre la humidad y la madre tierra.

Este evento inter pacifico deberá ser considerado también como la primera conferencia internacion

al sobre el futuro de las relaciones entre los seres humanos y el mundo de los microbios. Aprenderemos al mismo tiempo de Elisabeth Bik, de la universidad de Standford, experta en el desarrollo temprano de la flora intestinal, y de Georgios Stamatas de Estados Unidos y Francia, experto en el desarrollo temprano del microbioma de la piel: cuestiones vitales en este momento en el que muchos miembros de nuestra especie no nacen a través de la ruta perineal, rica en bacterias, y en el que empezamos a darnos cuenta que nuestro sistema inmune es en un grado muy alto “entrenado” por los organismos micro simbióticos.

La mayoría de los ponentes de las sesiones plenarias presentarán avances científicos recientes que podrían influir en la historia de los nacimientos. La participación de Michael Stark, de Berlín, el “padre” de la técnica simplificada de la cesárea, simbolizará los avances técnicos. La participación de Mario Merialdi, de la OMS, nos ayudará a considerar el futuro a nivel de planeta.

Una gran variedad de talleres y posters nos darán la oportunidad de mejorar nuestra comprensión de las necesidades básicas de la mujer de parto, de los bebés recién nacidos, y de las madres lactantes.

Para más información www.wombecology.com