Ensaios do Nascimento

ensaios_nascimento

Série de pequenos textos sobre gestação, parto, pós-parto e seus contextos é publicada no Laço Materno

Por Arnaldo V. Carvalho

Em meio aos movimentos que giram em torno de minha chegada a Campo Grande, Mato Grosso do Sul, para o I Curso de Técnicas Naturais para a Gestação, Parto e Pós-Parto, o Laço Materno lançou alguns de meus textos. São ensaios em prosa simples e direta, onde procuro dar voz a minha reflexão e experiência terapeutica na área, abordando temas que, mesmo já sendo bastante explorados por livros e artigos, seguem com aspectos sutis que ainda precisam ser melhor tratados.

Até o dia de hoje, 07 de abril de 2018, a série já tinha sido publicada praticamente pela metade:

  1. Me apresento ao leitor… https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-textos-ineditos-sobre-o-gestacao-parto-e-pos-parto/
  2. Contatos imediatos que o bebê no útero tem com o mundo exterior e seus impactos na vida. https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-contatos-imediatos-os-contatos-que-o-bebe-no-utero-tem-com-o-mundo-exterior-e-seus-impactos-na-vida/
  3. Lugar de Homem no Parto é Onde? https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-lugar-de-homem-no-parto-e-onde/
  4. Intervenções terapeuticas na gravidez e seus impactos no empoderamento da mulher. https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-as-intervencoes-terapeuticas-na-gravidez-e-seus-impactos-no-empoderamento-da-mulher/
  5. Sexo e gravidez: O Detalhe Z. https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-sexo-e-gravidez-o-detalhe-z/https://lacomaterno.com/ensaios-do-nascimento-sexo-e-gravidez-o-detalhe-z/

Até a próxima quarta-feira, acredito que eles terão dobrado o número de publicações (a série Ensaios já foi toda escrita). Abordaremos o pensamento oriental na gravidez, a naturopatia, questões imunitárias e outras. Os textos, como eu disse, tocam em assuntos que podem ser chave e a diferença entre um momento de vida maravilhoso e realizador ou não. Mas não se propõe a ser “Manual”, nem oferece tantos detalhes de solução… Simplesmente porque seria necessário muita conversa, interação, discussão, para que as relativizações imprescindíveis do cenário não corressem risco de se tornarem superficiais.

Fica aqui meu pedido aos leitores que leiam, curtam dentro da página do Laço Materno, comentem, peçam outros temas, etc.

Abraços, Arnaldo

 

 

Uma parteira na selva de pedra

Enquanto fazia minha formação em Gestação e Parto Ecológico com feras como Michel Odent, Heloísa Lessa, Ricardo Chaves e Laura Uplinger, percebi o quanto essa maneira de preparar e receber novos habitantes no Planeta Terra carece de voz.  Por mais que  a sociedade se manifeste interessada no assunto, parece haver um “desinteresse intencional” por parte da mídia. Fico pensando o quanto divulgar representa ameaça a uma indústria predadora, que há muito direciona os veículos de comunicação e se torna a grande formadora de mentalidade em todo o mundo.

Daí que surgiu a ideia de utilizar a Internet, ainda o meio mais democrático, para fazer essa maneira de ver as coisas poder ser lida, escutada, debatida. Não há interesse em impor coisa alguma, apenas de apresentar uma outra possibilidade, um ponto de vista incrívelmente desconhecido por boa parte das pessoas, por mais natural que um dia tenha sido.

Foi assim que rodamos esse vídeo. Ele é o piloto de uma série de mini-entrevistas que estão sendo preparadas com especialistas ligados a gestação e parto. Foi feito de forma bastante amadora, apenas pela crença de que uma nova consciência precisa surgir no ser humano. Por ele mesmo, pela Terra, pelos filhos, pelos e por tudo o que vem.

Nessa entrevista Diana Schneider conta um pouco sobre sua trajetória como auxiliar em trabalhos de parto e seu trabalho de consciencia corporal para gestantes envolvendo música e dança.

Para saber mais sobre seu trabalho acesse:

https://dianaschneider.wordpress.com/
http://www.facebook.com/groups/santamae/
http://www.facebook.com/StudioDharmaG…

Quem nasce é um ser humano – Chega de violência!

MANIFESTO PELA PROXIMIDADE DE CONTATO HUMANO NO ATO DO NASCIMENTO :

QUEM NASCE É UM SER HUMANO*

(chega de violência!)

* Por Rodrigo Vianna,

médico, pai e ser humano.

Imagine a cena de uma criança sendo levada da mãe por estranhos e deixada em um canto sozinha, nua e sem qualquer tipo de proteção emocional durante algumas horas. Cruel, não?

Pois isto acontece diariamente com milhares de crianças que tem alguns minutos de vida. Bruscamente são separadas de suas mães para serem levadas à “segurança” de uma incubadora durante quatro a seis horas.

Infelizmente isto ocorre de uma forma tão rotineira e há tanto tempo, que a impressão que passa é que esta é a forma certa de cuidar de um recém-nascido. Mas quando paramos para pensar que este recém-nascido na verdade é um ser humano e que também tem sentimentos e sensações como: dor, medo, insegurança e raiva, podemos então fazer as seguintes perguntas: não poderíamos fazê-lo sentir proteção, amor, aconchego, tranquilidade, desde esse primeiro minuto de vida? Que modelo de comportamento queremos que nossos filhos reproduzam?

A natureza deu ao ser humano uma capacidade de amar que é única! Porém, constantemente ele precisa de estímulos para o desenvolvimento e a solidificação desta capacidade emocional. Afinal, existem também inúmeros estímulos que fazem com que o ser humano desenvolva potenciais de agressividade, egoísmo e violência.

Hoje em dia, cientificamente já se mostrou que existe na mãe, uma enorme descarga hormonal com o nascimento do bebê. Dentro desta primeira hora, que é de extrema importância que a mãe pegue seu filho no colo, olhe-o, cheire-o, sinta-o e vice-versa. Há necessidade orgânica disto, mediada por hormônios. Hormônios que seriam responsáveis pelo vínculo mãe-bebê, o qual seria o protótipo de todas as formas de amor. Privar isso, seria aumentar a chance de depressão pós-parto, desmame precoce, perda de capacidade afetiva.

Um famoso obstetra e humanista francês, Dr. Michel Odent, disse com muita sabedoria: “Para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer” . E antes disso outro expoente médico, o psiquiatra e psicanalista Wilhelm Reich, já havia declarado: “A civilização começará no dia em que o bem-estar dos bebês recém-nascidos prevalecer sobre qualquer outra consideração”.

Temos de dar os estímulos certos! Hoje em dia vivemos em uma sociedade onde a todo instante queremos gritar por um basta à violência. Infelizmente talvez, os que hoje compõem esta sociedade já não conseguiriam modificar suas atitudes. Mas os nascimentos continuarão ocorrendo e aí teremos uma chance. Precisamos de pessoas que nasçam e cresçam crendo que amar vale a pena e que não é fora de moda. Pessoas que reproduzam esta mensagem através de atitudes que aprenderam logo ao nascimento.

http://escolabela.files.wordpress.com/2008/10/dsc02378.jpg

ESTE É UM MOVIMENTO EM PROL DA HUMANIDADE, DO AMOR, DA FELICIDADE, DA HARMONIA SOCIAL, DO DESENVOLVIMENTO DO “INDIVÍDUO COLETIVO”, DA CAPACIDADE DE COMPREENSÃO, DA FRATERNIDADE.

SE VOCÊ ACHA QUE VALE A PENA, ENVIE ESTE DOCUMENTO PARA OUTRAS PESSOAS.

QUE AQUELES QUE SE ENCONTREM GRÁVIDOS, REIVINDIQUEM JUNTO AOS MÉDICOS QUE LHE TRATAM (OBSTETRAS E PEDIATRAS) RESPEITO E CARINHO PARA COM O FILHO QUE NASCE, POIS QUEM NASCE É UM SER HUMANO.

QUE AQUELES QUE SE ENCONTREM GRÁVIDOS, REIVINDIQUEM JUNTO AO HOSPITAL ONDE TERÃO O BEBÊ, O QUE É PRECONIZADO PELA OMS E PELA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA: CONTATO COM A MÃE NA PRIMEIRA HORA E ALOJAMENTO CONJUNTO DESDE A IDA DA MÃE PARA O QUARTO.

NÃO VAMOS DEIXAR ESSA MENSAGEM PARAR DE CIRCULAR ENQUANTO NÃO OBTIVERMOS MELHORES CONDIÇÕES DE NASCIMENTO.

www.gestacaoconsciente.com (em construção)

apoio:
Portal Verde www.portalverde.com.br

Calor Humano www.calorhumano.com.br

Arnaldo V. Carvalho – http://www.arnaldovcarvalho.com