Sobre os royalties do Petróleo

Os amigos leitores do blog já estão relativamente acostumados com meus posts longos assinalando opinião, compartilhando reflexões, etc.

Mas, no tocante aos royalties do Petróleo, serei muito breve, e só me atenho a escrita porque são muitos os amigos que estão comprando opinião seja do lado que deseja equalizar os proventos igualmente entre os estados, seja os que defendem as “cotas” aos “estados produtores”.

Se querem saber, é discutir sobre um erro tão grave, que isso na minha cabeça nem deveria estar em pauta, ou ao menos, não deveria sem que outras discussões a precedecem, como:

– Qual é o impacto ambiental a curto, médio e longo prazo desta extração?

– Quem de fato se beneficia?

– O foco no Petróleo adia investimento em desenvolvimento tecnológico para fontes energéticas melhores, mais baratas, ecológicas, saudáveis, sustentáveis, etc.?

– O foco no Petróleo adia investimento, implantação, produção, venda de produtos não petróleo-dependentes?

Sem rodeios, eu sou contra a exploração do petróleo mesmo. Por mim viveríamos sem plástico com origem em petróleo (já há outras fontes), sem óleo mineral e parabenos nos cosméticos, sem carro, sem nada que venha do ouro negro…. HÁ tecnologia alternativa, tanto como fonte energética como utilização destas. Se não houvesse… Há. Nos tempos atuais, o monte de tecnologia alternativa só não é usada por ganância.

Quanto aos royalties (já que parece inevitável que queiram um posicionamento objetivo), sou a favor não a royalties exclusivos para um estado produtor (seja lá do que for), mas de repasse compensatório da União ao Estado QUANDO toda e qualquer exploração NACIONAL gerar impacto (ambiental, social, etc.) local.

 Arnaldo V. Carvalho