Reação violentas e criminosas dos Taxistas Vândalos contra o Uber

lounge-uber

Por Arnaldo V. Carvalho*

Quebraram tudo. Há algum tempo, a Uber montou um lounge no Shopping Bossa Nova, anexo ao Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. Ontem, os taxistas resolveram protestar, entraram no Shopping e quebraram tudo. A motoristas que chegavam para desembarcar alguém, havia o risco de serem agredidos: um amigo muito próximo que trabalha como motorista de Uber foi cercado por quatro taxistas, que gritavam e chutaram o carro. Ele conseguiu acelerar e fugir, por pouco (situação RECORRENTE, verão abaixo). Outros três motoristas não tiveram a mesma sorte: tiveram seus carros depredados.

A polícia chegou depois mas até onde busquei informação, não há notícias de prisões. Os taxivândalos mancham a já precarizada imagem da classe profissional, que antes da chegada contra o Uber, já protagonizava episódios horríveis de brigas entre eles, carros dando fechada em outros para pegar um cliente na frente, motoristas malandros cobrando tarifas surreais na porta da rodoviária ou dos aeroportos, etc.

Agora esses verdadeiros bandidos se uniram “contra o Uber”. De 2014, há uma coleção de episódios de agressão e vandalismo contra motoristas, seus carros e, pasmem, seus passageiros.

Os tipos mais comuns de agressão são os que taxistas formam “bandos” entre três a cinco carros, cercam o carro, ameaçam, espancam e vandalizam o carro. As armas mais comuns dos taxistas agressores são pedras (a distância), paus (corpo-a-corpo), mas há uso de armas brancas e de fogo, chaves, ovos, materiais químicos e outros. Na agressão a passageiros, eles preferem mulheres e normalmente utilizam xingamentos misóginos. Quando podem destroem celulares. O local preferido das ganguetaxis são os shoppings e os terminais de outras modalidades de transporte: aeroportos, rodoviárias, e em menor escala, as estações das barcas.

Em rápida pesquisa por notícias dos últimos 12 meses, montei uma timeline de agressões de taxistas contra Uber denunciadas por jornais, baseadas apenas nas primeiras 100 referências do Google com a chave “agressão uber” (imagine se somarmos o que existe filmado no youtube, se formos além dessas referências, se entramos nos links relacionados, usamos outras palavras-chave, etc…). Se buscarem pelo ano de 2015 verão um panorama igualmente sombrio).

Janeiro

(São Paulo): Agressão no aeroporto

(São Paulo) Motorista agredido(1), carro destruído(2)

(São Paulo) Agressão a motoristas e passageiros

(Rio de Janeiro e São Paulo) Motoristas Uber agredidos nas duas cidades

Fevereiro

(Brasília): Homem confundido com motorista Uber agredido

Março

(São Paulo) Taxistas fecham e impedem Uber de seguir

Abril

(Recife) Estudante confundido com motorista Uber é agredido

(São Paulo) Vereador que representa taxistas agride diretor do Uber na Câmara

(Curitiba) Taxista tenta se passar por vítima

Maio

(Curitiba) Diversas agressões, cinco boletins de ocorrência…

(São Paulo) Enfermeiro confundido com Uber é agredido e tem carro depredado

Junho

(Brasília) Família atacada por ser confundida com Uber

(Brasília) Ameaçado e carro depredado

(Brasília) Novas agressões contra motoristas

(Rio de Janeiro) Confundida com Uber, mulher agredida com extintor de incêndio (!!)

Julho

(São Paulo) Motorista agredido e vítima de tentativa de assassinato

(Recife) Motorista e passageiras agredidas, carro vandalizado. 

(Belo Horizonte) Tiro de arma caseira contra o carro Uber

(Belo Horizonte) Taxista tenta forçar batida de carro da polícia confundindo-o com Uber

(Porto Alegre) Motoristas agredidos em audiência pública

(Porto Alegre): Motorista Uber esfaqueado

(Brasília) Motorista agredido

(Brasília): Taxista resolve “dar voz de prisão” a motorista Uber (!!!)

(Salvador) Relato de agressões contra motoristas Uber associadas a vista grossa das autoridades

Agosto

(Campinas) Carro apedrejado

(Mogi das Cruzes) Motorista agredido por taxistas de Mogi

(Goiânia): Taxistas tentam cercar um carro Uber e o motorista tenta escapar e acaba atropelando um deles

(Fortaleza): Passageira Uber denuncia agressão “estilo taxista” 

(Belo Horizonte): Motorista esfaqueado (outra matéria aqui)

(Belo Horizonte) Passageiros agredidos

(São Paulo) Motorista sequestrado e agredido

(Santos) Ação truculenta por ser confundido com Uber

(Salvador): Motorista agredido. 

Setembro

Não encontrei nessa procura (só em Portugal, onde a máfia do Taxi também pega pesado).

Outubro

(Salvador) Motorista Uber é espancado em emboscada 

(Salvador) Motorista espancado, carro roubado(!). Motoristas Uber protestam. (outra: aqui)

(Salvador) Atacado a pauladas; rosto desfigurado

(Brasília) Motorista espancado, carro depredado (mais: aqui)

(Santos) Motorista agredido e carro danificado (mais: aqui)

(Goiânia) Motorista agredido e carro danificado

(Mogi das Cruzes) Motorista agredido e saqueado

Novembro

(Porto Alegre) Agressão filmada

(Salvador): Taxistas protestam causando caos

(Santos):Policial confundido com Uber é ameaçado e se defende

(Florianópolis) – Agressão física no aeroporto (outra: aqui)

(Rio de Janeiro) –Lounge do Uber destruído, motorista agredido.

A quantidade de histórias não registradas demonstra, embora não se possa afirmar números, que a situação é ainda pior.

Em que país estamos? Por que os taxistas não cobram do GOVERNO redução de seus impostos, porque não dão descontos, não criam um sistema de classificação passível a suspensão, não se qualificam para um bom atendimento e tornam-se mais rigorosos com a qualidade dos carros? Que tipo de gente é essa que quer resolver na base da agressão física?

Atenção taxista decente, não permitam que manchem mais a classe de vocês. O inimigo não é o UBER, estão errando o alvo totalmente. Inimigo é o novo tempo, que EXIGE que o governo coma tanto dinheiro de vocês em impostos, que EXIGE que os passageiros sejam muito bem tratados e contem com bons preços. Vamos para frente, que talvez haja esperança!… Embora alguns já não acreditem mais nisso.

* Arnaldo V. Carvalho é cidadão brasileiro, mora no Rio de Janeiro, anda de Uber de vez em quando e nunca mais quis saber de taxi.