Seminário online sobre jogos de tabuleiro modernos na aprendizagem reúne quatro feras da área

Na próxima quarta-feira dia 8, a Necto Gamificação promoverá um encontro ao vivo com especialistas no uso educacional do jogo de tabuleiro. Estarão presentes a pioneira Laíse Lima do Oficinas Lúdicas, da Bahia; Carolina Modanezi, game designer que dirige a editora Fagulha Jogos; Arnaldo V. Carvalho, pedagogo coordenador do LabJog e o proprietário da Necto, Jorge Nolasco, idealizador do 1º Seminário Online de Jogos e Gamificação (jun/2020).

O “Encontro com Mentores ao Vivo: Jogos de Tabuleiros Modernos na Aprendizagem” acontece às 19h00 do dia 08 de julho (2020), ao custo simbólico de R$9,90. Inscrições podem ser feitas pelo Sympla:

https://www.sympla.com.br/encontro-com-mentores-jogos-de-tabuleiro-na-aprendizagem__892449

Live sobre Michel Odent na próxima quarta-feira

Nessa quarta (24/06/2020) estarei nessa live com a obstetra Heloísa Lessa, grande autoridade em parto ecológico do Rio de Janeiro. Conversaremos sobre mais um tema referente às contribuições científicas de Michel Odent para a humanidade: a enorme abrangência e alcance de seu pensamento.

Conhecido por sua atuação no cenário do nascimento, Odent, que completa 90 anos agora em julho, segue altivo na busca por formular perguntas cruciais à vida humana; Para tanto, combina os mais diversos campos da ciência de forma surpreendente.

Odent não se absteve de discutir acerca de polêmicas e propostas revolucionárias impressas em livros de diferentes áreas do saber. Como exemplo, menções surpreendentes ao Homo ludens de Huizinga, à medicina oriental e A função do Orgasmo de Wilhelm Reich constam em suas diversas obras.

Saberes não científicos, porém, por vezes seguem como base de inspiração para Odent filosofar em torno de dados recolhidos e analisados em pesquisas realizadas pelas grandes universidades do mundo. Seus pensamentos não tergiversam deixando pontas soltas ou sem afluírem para algo prático: tudo converge para uma necessidade, cuja urgência é anunciada de forma cada vez mais impactante, a cada livro que escreve, a cada palestra que oferece.

A quem deseja entender a atualidade do longevo cientista e professor, basta dizer que seu último livro, publicado em fins de 2017, utiliza em boa parte citações de trabalhos científicos com menos de dez anos – com uma amostra significativa de artigos publicados menos de um ano antes de sua escrita. Sempre foi assim.

Para uma humanidade que ainda tenta entender “quem somos, de onde viemos e para onde vamos?”, a obra de Odent despe o Homo de sua cultura e oferece pistas fundamentais acerca de nossa natureza e a escolha por respeitá-la – em nome da sobrevivência da espécie.

Vejo vocês lá!
ARNALDO

O direito universal a produzir e contemplar

Blog do Castorp: Mia Couto - Falta de reza

(…) apenas para uma pequena minoria é possível combinar produção e contemplação. O mundo tem que ser virado do avesso para que esse direito de ação e introspecção seja privilégio de todos. Mas é preciso mais do que isso: é preciso interrogar essa ação e essa contemplação. Quando agimos é no interesse de quem? Na maior parte das vezes, agimos ao serviço de ditames sutis de um patrão invisível.
(Mia Couto, 1955-)

A falsa normalidade e o apogeu da alienação

O incêndio que mais me preocupa é da política ambiental e das ...

“(…) José Saramago falava dessa cegueira coletiva. As novas ditaduras já não precisam de ditadores. Usam-nos, depois de nos roubar a visão crítica do mundo. Ainda agora há apelos para voltar à normalidade (sair do isolamento social). A economia deve continuar, dizem. Mas que normalidade e que economia estamos a falar? Num país como Moçambique a aplicação cega das soluções implementadas em outros países seria um desastre social e humanitário de proporções gigantescas. A maior parte da nossa sociedade sobrevive na esfera da economia informal. Essa economia continua a ser invisível aos olhos dos governantes, ainda que ela ocupe a maioria da população”.

(Mia Couto, 1955-)

Tinha de ser Mia Couto!

Mia Couto – Wikipédia, a enciclopédia livre

“Nós quase nada sabemos sobre os vírus e as bactérias. E essas duas entidades são a base da própria vida. Dizemos que essas criaturas são invisíveis apenas porque nós não as podemos ver. Chamamos-lhe de micro-organismos. Custa-nos a admitir, mas quem controla a existência e a evolução da vida são essas criaturas ditas invisíveis. Não somos nós. Essas criaturas estão, nesse sentido, mais próximas de Deus do que nós”.
(Mia Couto, poeta e biólogo 1955-)

Autocrítica, virtude cada vez mais escassa e cada vez mais urgente

Republico aqui o artigo de Leandro Konder sobre a importância da autocrítica. Filósofo marxista, em algum momento do texto ele dialoga mais diretamente com seus companheiros. Mas a ideia de “curriculum mortem”, de que está na hora a sociedade assumir suas chagas, assim como seus indivíduos, é para todos nós. Espero que o texto permita reflexões.

(Arnaldo V. Carvalho)

 

Nota: O texto está depositado no Scribd. Quem preferir, pode ler direto no site ou mesmo ir lá para fazer download: https://www.scribd.com/document/458964326/Curriculum-Mortem

 

Quem é o opressor?

Bertold Brecht: Teatro e Poesia (Download)

Da Violência

Do rio que tudo arrasta se diz que é violento.

Mas ninguém diz violentas

As margens que o comprimem.

(Bertold Brecht – 1898-1956)

(Tradução do escritor português Arnaldo Saraiva (1939-)

Youtube de Arnaldo V. Carvalho: inscreva-se!

YTarnie.jpgCaros leitores,

Estou participando de um edital e preciso de inscrições no meu canal youtube! Lá sempre ofereço conteúdos variados, atualmente mais focado nos jogos de tabuleiro , mas com playlists diferentes, com músicas, saúde, educação… Se inscrever me dá força! http://www.youtube.com/c/arnaldovcarvalho

Um abraço de fé,

Arnaldo V. Carvalho