Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Outubro, 2012

Read Full Post »

Escola de Shiatsu SHIEM

Por Arnaldo V. Carvalho*

http://shiatsuemocional.files.wordpress.com/2010/11/concursoouprova.jpg?w=300&h=294

Vestibular. Defensoria. Magistrado. Concurso público. Provas. Entrevistas. Memória, atenção, tensão, stress, ansiedade, medo.

Se você é capaz de associar o concurso que pretende fazer com palavras como essa, deve ter noção do que passa alguém que pretende, após uma prova bem feita, passar a uma nova etapa de vida, onde todo o sacrifício e dificuldade vivida anteriormente  será compensada com uma posição satisfatória seja ao entrar em um novo nível acadêmico, seja pela tranquilidade e estabilidade econômica que um concurso ou emprego pode proporcionar.

Infelizmente, para muitos esse tempo é tragado pela dificuldade de concentração. É difícil viver no presente sonhando tanto com o futuro, necessitando tanto deixar um presente apertado para trás, tirar da cabeça o mundo de cobranças externas e internas.

Dizer “acalme-se” talvez seja a resposta exata para deixar uma pessoa com grande stress ainda pior. Aumentar o tempo de estudo só aumenta…

View original post mais 1.621 palavras

Read Full Post »

COLIGAÇÕES PERIGOSAS: Na eleição para vereador, muito cuidado, seu voto pode ir para uma pessoa em quem você jamais votaria!!! (mesmo você tendo votado perfeitamente na urna) VEJA PORQUÊ!

 

Por Arnaldo V. Carvalho*

 

Muita gente pensa que nas eleições para vereador, ganharão os candidatos que tiverem mais votos, simplesmente. Mas não, pois nosso país entende que isso favoreceria sempre os grandes partidos e/ou criar uma certa estabilidade nos votados – empecilhos a democracia. Assim sendo, criou-se uma forma de cálculo que de certa maneira consegue efetuar uma distribuição lógica dos cargos a vereador entre diferentes partidos1. Por isso mesmo, o voto da gente as vezes não elege nosso candidato, mas pode eleger outro candidato do partido que você acredita.

 

O cálculo é feito assim: pegam-se o total de votos válidos e se divide pelo número de vagas. Pega-se então o número de votos que um partido teve, e divide-se pelo resultado da divisão anterior. O resultado é o número de vereadores que o partido conseguiu. Se o número porém não for redondo (e geralmente não é), por exemplo, se esse calculo acabar em 3,2, então o partido tem garantido 3 vagas. O que fica depois da vírgula vai se somar a todos os “restinhos” dos cálculos de cada partido, e irão compor um cálculo final, com as vagas que sobrarem. Esse cálculo, baseado em médias, também se baseia nos números totais de um partido, não de candidato A ou B.

 

Uma vez que se saibam quantas vagas o partido conquistou, aí sim conta o número de votos individual, e finalmente saberemos quem dentro desse partido é que vai entrar.

 

O problema é que, quando partidos formam alianças – as chamadas coligações – eles passam a contar, para o sistema eleitoral, como um só. Então vamos dizer que o Partido das Toupeiras se junta com o Partido das Águias, formando a coligação “Bicho Estranho”. Você quer votar no João Falcão do Partido das Águias, e na sua opinião o Partido das Toupeiras tem um ideologia totalmente contrária a sua. A coligação “Bicho Estranho” consegue 2 vagas de vereador. João Falcão é o mais votado do partido das águias, mas tem menos votos que Simão Castor e Vera Rato, ambos do Partido das Toupeiras (que você detesta), e assim fica de fora, porque nessa eleição, é como se fosse um só partido, que é a “Coligação Bicho Estranho”. Agora vamos a um exemplo ainda mais amargo. Vamos dizer que o João Falcão que você tanto gosta recebeu 100 mil votos, sendo que para o cargo precisava de 50.000. Sabe o que acontece? Os votos que sobram dele vão para os outros, não necessariamente do seu partido, mas por ordem de mais votado da coligação. Mais uma vez, você, embora tenha ajudado a eleger seu vereador preferido, acabou colocando na Câmara políticos que podem inclusive atrapalhar as iniciativas do seu vereador!

 

Por isso é que, Como diz Drica Guzzi, “antes de votar precisamos ter clareza de quem está junto com quem”. Se um partido que te agrada se junta com outro que você não votaria, veja lá se você vai mesmo querer votar nesse. No final das contas, as “coligações perigosas” é uma das arma mais traiçoeiras do cenário político nacional.

 

Conheça as coligações dos partidos dos seus candidatos consultando:

 

http://eleicoes2012.info ou http://www.repolitica.com.br

 

*Arnaldo V. Carvalho é pai, terapeuta, cosmopolita, “meio intelectual, meio de esquerda meio de direita“, e busca votar responsavelmente.

 

1. Esse cálculo é baseado em uma equação criada pelo belga Hondt, sendo por muitos chamado de “método D’Hondt”. A maioria dos países na Europa e muitos em todo o mundo utilizam esse método.

 

Referências

http://www.luisgomesrn.com/portal/modules/news/article.php?storyid=230

http://jus.com.br/forum/89671/votos-em-legenda-partidos-coligados-como-funciona-a-distribuicao/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_eleitoral_do_Brasil

http://pt.wikipedia.org/wiki/Elei%C3%A7%C3%B5es_no_Brasil

http://www.tre-sc.jus.br/site/eleicoes/calculo-de-vagas-deputados-e-vereadores/index.html

http://www.flc.org.br/revista/materias_view.asp?id=%7B9E21134A-1BAE-4561-8D27-290BAE7668DE%7D

http://dricaguzzi.info/2010/coligacoes-partidarias-visualizando-confuso-sistema-distribuicao-votos

http://www.flickr.com/photos/14898892@N02/sets/72157624920730871/

Read Full Post »

Atenção pessoal, o TSE está divulgando as listas de candidatos inaptos em todo o país. 
 
Para ver no seu município:
 
Listo aqui quinze dos vários candidatos INAPTOS a eleição em Niterói e São Gonçalo – ATENÇÃO, não percam voto, e olhem os partidos desse pessoal, para ver os que estão mais indeferidos!!! (Arnaldo)
NITERÓI
NOME DO CANDIDATO NOME PARA URNA NÚMERO SITUAÇÃO PARTIDO COLIGAÇÃO
ANA DE FATIMA DOS REIS DIAS ANA COSTA 43497 Indeferido PV NITEROI SUSTENTAVEL
ANA PAULA CARREIRA MOREIRA ANA PAULA 31031 Indeferido PHS SOMOS + NITERÓI
ANDRE VITOR DIAS BORGES VITOR BORGES 17007 Cancelado PSL PRIORIDADE POR NITERÓI
ANTONIO JOSE DOMINGOS ROLLA NETO ROLLA 15133 Cancelado PMDB JUSTIÇA SOCIAL E FÉ
CARLOS ALBERTO SIQUEIRA CARLOS SIQUEIRA 22222 Cancelado PR SOMOS + NITERÓI
ELAINE CHRISTINA SIQUEIRA MARQUES ELAINE PAIXÃO 22004 Indeferido PR SOMOS + NITERÓI
FILIPE EDUARDO DE ANDRADE BORGES FILIPE BORGES 11012 Cancelado PP PRIORIDADE POR NITERÓI
JOSE APPARECIDO BAIONETA DA SILVA BAIONETA 22333 Indeferido PR SOMOS + NITERÓI
JOSE HENRIQUE JARDIM DA SILVA JOSE HENRIQUE JARDIM 22580 Cancelado PR SOMOS + NITERÓI
JOSEANE ANGETRINA ALVES JOSE DA RUA OITO 44977 Indeferido PRP SEMPRE JUNTOS POR NITERÓI
JOSÉ MANOEL DOS SANTOS JOSÉ MANOEL 54777 Indeferido PPL SEMPRE NITERÓI
LAILA ROSE DIAS CORREA DE CARVALHO LAILA 13645 Indeferido PT É HORA DE MUDANCA
LUIZ CARLOS RODRIGUES DA FONSECA TIO LUIZ CARLOS 45145 Renúncia PSDB NITERÓI PODE MAIS
MARCOS ANTONIO COELHO ANCHIETA MARQUINHO ANCHIETA 20777 Indeferido PSC NITEROI SUSTENTAVEL
MARIA DE FATIMA PAULAVICINS DE OLIVEIRA FATIMA CABELEREIRA 23012 Indeferido PPS SEMPRE NITERÓI
[ 22 item(ns) encontrado(s). Mostrando de 1 a 15 ]
 
SÃO GONÇALO
 MACHADO AMARANTE ALEX AMARANTE 65555 Indeferido PC do B PCdoB e PPL – UNIDOS PRA AVANÇAR
ANA MARIA DO SACRAMENTO ANA SACRAMENTO 33254 Renúncia PMN Mobilização dos Trabalhadores
ANA PAULA FERREIRA DA SILVA PAULINHA DA MARMORARIA 65333 Indeferido PC do B PCdoB e PPL – UNIDOS PRA AVANÇAR
ANGELA ANTONIAZZI ANGELA ANTONIAZZI 40665 Indeferido PSB PSB / PSL
ANGELA MARIA DA SILVA ANGELA MARIA 65427 Indeferido PC do B PCdoB e PPL – UNIDOS PRA AVANÇAR
CARLA REGINA SIQUEIRA FIGUEIREDO ENFERMEIRA CARLA 65650 Indeferido PC do B PCdoB e PPL – UNIDOS PRA AVANÇAR
CARLOS AUGUSTO ALMEIDA CARLINHO PAPAI 12369 Indeferido PDT JUNTOS PRA MUDANÇA NÃO PARAR – PDT e PTC
CARLOS ROBERTO GOMES CARLOS GOMES 12346 Indeferido PDT JUNTOS PRA MUDANÇA NÃO PARAR – PDT e PTC
CELIA REGINA BASTOS DA SILVA RIBEIRO CÉLIA DA ELLO DE AMOR 65105 Indeferido PC do B PCdoB e PPL – UNIDOS PRA AVANÇAR
CLAUDETE DA COSTA ANTUNES CLAUDETE ANTUNES 20111 Indeferido PSC Partido não coligado
CLAUDIA MÁRCIA MOREIRA MOTA CLAUDIA 43666 Indeferido PV UNINDO FORÇAS POR SÃO GONÇALO PMDB/PT DO B/ PV
CRISTIANE AZEREDO COUTINHO CRISTIANE COUTINHO 20601 Indeferido PSC Partido não coligado
EDILSON GOMES EDILSON GOMES 55640 Indeferido PSD Partido não coligado
EDSON HAINFELLNER EDSON GONÇALO 31631 Indeferido PHS Partido não coligado
ELIZANGELA CRISTINA BARROS DA SILVA ELIZANGELA BARROS 12333 Renúncia PDT JUNTOS PRA MUDANÇA NÃO PARAR – PDT e PTC
[ 81 item(ns) encontrado(s). Mostrando de 1 a 15 ]
PrimeiroAnterior12345PróximoÚltimo

 

 FONTE: TSE

http://divulgacand2012.tse.jus.br/divulgacand2012/abrirTelaPesquisaCandidatosPorUF.action?siglaUFSelecionada=RJ&codigoSituacao=3

Read Full Post »

“Amo aquele cujo espírito e coração são livres: assim, nele, a cabeça é apenas uma víscera do coração”.

Zaratustra (personagem de FRIEDRICH W. NIETZCHE)

Read Full Post »

São muitos os partidos políticos desconhecidos, seja pela inexpressividade, porque mudaram de nome, fundiram-se a outros ou simplesmente são novos. Desde 2000, surgiram mais 6 partidos, e vários outros estão em fase de registro junto ao TSE.

Tudo isso  confunde o eleitor. E nem sempre partidos nascem para melhorar o país ou para torna-lo mais democrático.

–> Quando um novo partido se forma?

1) Quando um político está queimado dentro de um partido, ou o partido está queimado perante a opinião pública e o político não quer mais ver sua imagem associada a este*;

2) Quando um político eleito já não quer mais ser influenciado/controlado/pressionado por seu partido de origem*;

3) Quando um partido entra em crise interna e “racha”, saindo um grupo que entende que sua ideologia não é a mesma do partido, havendo necessidade de se criar um novo que se afine mais com esse grupo. (o exemplo mais conhecido talvez seja o da divisão do PMDB, onde um grande grupo saiu para fundar o PSDB).

4) Quando um grupo de pessoas com uma nova ideologia surge.

5) Quando um ou mais políticos de diferentes partidos têm interesse em se juntar e querem burlar as regras da fidelidade partidária, pois fundar outro partido oferece justa causa a mudança*.

6) Finalmente, há o interesse em se formar “partido laranja”. Criam-se vários pequenos partidos, para que se possam montar coligações e com elas se obter mais chance de eleição aos cargos do legislativo (vereador, deputados). Isso é possível no sistema de eleições proporcionais. Como uma coligação pode eleger mais do que um partido solitário, passa a ser vantagem que um partido de grande porte faça coligação com um partido minúsculo.

Vejam que na prática, quase sempre as razões para a  fundação são espúrias ou questionáveis, e talvez apenas a 4 valesse a pena, desde que realmente surja uma nova ideologia, o que pelo que tenho observado nos novos partidos, não aconteceu.

— >Quando um partido “morre” (extingue-se ou é incorporado a outros)?

1) Quando a causa que motivou seu surgimento é enfraquecida (como o caso do PAN, Partido dos Aposentados da Nação, incorporado ao PTB em 2007).

2) Quando o nome do partido está com uma imagem muito negativa e deseja-se um novo nome, tentando desvincular-se ao passado, confundindo o eleitor. Foi assim que o PRN (criado pelo Collor) virou PTC, e o ultradireitista PFL virou DEM (assumindo de vez  “american dream” que na verdade só pode ser “brazilian delirious”). Outros que mudaram de nome são: PPB para PP; PRT para PSTU, o PSN para PHS e o PDC para PSDC.

3) Quando se fundem: Ainda procuro razões concretas para fusões, mas creio que quando dois partidos enfraquecem por vezes podem considerar a fusão uma soma de forças benéficas para ambos. Um partido que depende muito de um “ícone”, como o PRONA dependia de Enéas por exemplo, parece não ter tido muita solução a não ser buscar esse recurso. Fundiu-se com o também enfraquecido PL, dando origem ao atual Partido da República – PR (cujo nome demonstra que possivelmente o PL, que como o PFL também é afinado com um liberalismo “à americana” obteve mais influência nesse processo). 

Além dos surgidos de fusões e mudanças de nome, encontramos partidos novos – nem todos com caras novas, ainda estranhos a maioria. Segundo a ordem de estabelecimento junto ao TSE, temos: PR – Partido da República (2006); PSD – Partido Social Democrático (2011, criado pelo Kassab!); PPL – Partido Pátria Livre (2011); e PEN – Partido Ecológico Nacional (2012).

Quando se vê um partido como o PEN surgir, é possível perguntar: “essas pessoas (que fundaram o partido) querem estar num partido vinculado a causa ambiental, ok. Mas o Brasil já não tem um partido formado sob essa égide (no caso, o PV)? Surgem novos com gente que não quer “se contaminar” com um partido envenenado por denúncias, desorganização, etc., mas permanecem os velhos; e assim vamos empilhando partidos empoeirados junto aos novos, apertando-os na prateleira finita da organização brasileira. Pelo visto, o processo de desgaste dos partidos não é reciclável.

Quem pensa que paramos por aí, na “pequena soma” de TRINTA partidos, está enganado. Há vários outros partidos estão em formação, alguns deles inclusive já entraram com processo de registro no TSE. É o caso do PSPB – Partido dos Servidores Públicos e dos Trabalhadores da Iniciativa Privada do Brasil. Isso significa que em breve, o Brasil poderá receber mais e mais partidos, tornando o processo democrático cada vez mais complicado.

* * *

*Arnaldo V. Carvalho é pai, terapeuta, cosmopolita, “meio intelectual, meio de esquerda meio de direita“, e busca votar responsavelmente.

* Um político eleito por um partido não pode mudar muito facilmente… Mas se surge um novo partido, aí ele pode mudar, pois a mentalidade democrática presume que, se surge um novo partido que estaria mais de acordo com a ideologia dele, tudo bem. Se o partido antigo se funde com outro também passa a ser possível mudar de partido por justa causa.

Referências:

http://www.tse.jus.br/partidos/partidos-politicos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_partidos_pol%C3%ADticos_no_Brasil

http://www.tse.jus.br/arquivos/tse-historico-partidos-politicos

http://www.tse.jus.br/partidos/fidelidade-partidaria

http://www.tse.jus.br/legislacao/codigo-eleitoral/lei-dos-partidos-politicos/lei-dos-partidos-politicos-lei-nb0-9.096-de-19-de-setembro-de-1995

http://www.tse.jus.br/partidos/contas-partidarias/relacao-de-processos/relacao-de-processos-partido-pan/?searchterm=partido%20dos%20aposentados

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_partidos_pol%C3%ADticos_brasileiros_extintos

http://bloglentedeaumento.blogspot.com.br/2011/10/ja-extrapolamos-barreira-do.html

http://www.tse.jus.br/noticias-tse/2011/Novembro/hiperpartidarismo-pode-prejudicar-a-governabilidade-diz-presidente-do-tse-em-palestra

http://istoepiaui.blogspot.com.br/2011/10/o-pais-do-hiperpartidarismo.html

Read Full Post »

por Arnaldo V. Carvalho*

Votar em branco dá voto para quem está ganhando a eleição? Votar nulo pode anular uma eleição?

Amigos leitores, essas são dúvidas de muitos, mesmo entre pessoas esclarecidas. Isso acontece porque durante anos houve conflito nas leis e possibilitavam interpretações distintas, e na principal delas, o voto em branco era contabilizado para fins de quosciente eleitoral. Atualmente, contudo, a Lei nº 9.504/97 pôs um fim às dúvidas, e hoje fica garantido o seguinte: Votos nulos e votos em branco são votos igualmente inválidos, que não serão contabilizados. Ou seja, o efeito é o mesmo. E que efeito é este?

O efeito de um voto não contabilizar é o de encolher o número de votos necessários para se obter maioria absoluta – e assim vencer direto, sem segundo turno. Assim, numa cidade com 100.000 eleitores, onde 20% (20 mil) não votaram, e/ou anularam e/ou votaram em branco, 80.000 eleitores tem votos contabilizados. Se antes um candidato precisava de 50.001 votos, agora só precisa de 40.001. Alguns argumentam que, na prática, isso pode representar uma eleição mais fácil para o favorito, e clamam que não se vote nulo caso haja um candidato “mau” disputando a eleição contra um “bom”, ou quiçá um “menos pior”.

No final das contas, fica valendo a máxima da convicção no que acredita, independente se esta convicção te encaminha para a anulação do voto ou para um candidato que você realmente deseja ver no poder.

*   *   *

Referências:  

http://papodehomem.com.br/voto-nulo-e-voto-em-branco-o-que-realmente-e-verdade/

http://super.abril.com.br/cultura/adianta-votar-nulo-446574.shtml

http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/noticia/2010/09/justica-eleitoral-esclarece-duvidas-sobre-votos-brancos-e-nulos-e-diz-que-nao-valem-na-contagem-3047161.html

http://oglobo.globo.com/eleicoes-2010/tire-suas-principais-duvidas-sobre-votos-brancos-nulos-nesta-reta-final-nas-eleicoes-4987906

http://www.brasilescola.com/politica/votar-nulo-funciona.htm

http://www.tse.jus.br/arquivos/tre-ms-artigo-sobre-votos-validos/view?searchterm=voto%20em%20branco

NOTA: Na PARTE 2, explicarei sobre as Coligações, que também oferecem muitas dúvidas ao eleitor.

 

Arnaldo V. Carvalho, terapeuta, é um eleitor comum, que cheio de dúvidas resolveu estudar, aprender, decifrar e divulgar da forma mais simples possível as dúvidas sobre o processo eleitoral, para cuja maioria das respostas quase sempre só complicam mais e mais.

Read Full Post »

Older Posts »

%d bloggers like this: