Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Dezembro, 2010

Read Full Post »

*** O AUTOR AUTORIZA PREVIAMENTE A CÓPIA E DIVULGAÇÃO DE SEU ARTIGO, PEDINDO APENAS QUE CITE A FONTE ***

PRÊMIO TOP 8* NOTEBOOKS (Laptops)

Os melhores laptops (notebooks) de até R$1500,00 para você comprar sem erro

Aprenda a configurar o micro dos seus sonhos com pouco dinheiro no bolso

Compare pelo melhor custo benefício de laptops em 2010

Por Arnaldo V. Carvalho**

O Natal passou, mas os Laptops (notebooks) continuam com preços baixos, e ainda há tempo de comprar, super parcelado, e talvez até mais barato em algum saldão.

Hoje em dia, dá pra comprar um ótimo laptop entre R$1000,00 e R$1500,00, o que dispensa a ideia muitas vezes de se ter um PC comum, grande, pesado e não portátil, ou um Netbook, que tem poucos recursos e custa quase o mesmo de um laptop.

Durante meses venho monitorando preços e configurações, e hoje compartilho com todos o que mais vale a pena no momento em termos de relação custo-benefício.

Considerei alguns critérios mínimos e fatores cruciais na comparação do micro certo, entre elas:

Possuir acesso a Internet tanto por cabo (rede) como sem fio (Wireless) e DVD (leitor e gravador) básico para qualquer um dos computadores; O processador, sua marca e modelo, desempenho, frequência (GHZ); A memória RAM (tamanho e tipo); O HD (tamanho); O tamanho e tipo de tela; O sistema operacional; a marca, acessórios e extras; o número de portas USB; O número de células e a autonomia da bateria; o peso total do aparelho; Preço, garantia, condições de pagamento e entrega.

Vamos ver o porquê de cada um desses critérios e as configurações mínimas a serem escolhidas:

  1. Processador: Os programas utilizados nos computadores são cada vez mais complexos, e exigem mais desempenho das máquinas. Processadores poderosos garantem que você tenha um micro veloz, especialmente para certas coisas que as pessoas consideram, por exemplo: na hora de pesquisar dentro do micro por um arquivo; Na hora de abrir e fechar programas; Para se fazer uma operação de limpeza do micro, e na hora de se rastrear o HD na luta contra anti-vírus e malwares; Para passar de uma janela para outra. Quem joga joguinhos também precisa de processadores robustos; Para ajudar a garantir uma boa exibição de um filme; Para editar / processar imagens ou vídeos.

Os tipos de processador: Hoje em dia são tantos que as pessoas se perdem. Entretanto, permanecem duas marcas principais, a Intel e a AMD, sendo que no Brasil domina grandemente a Intel; Optamos na maior parte das vezes pelos processadores Intel. O site da Intel em português fornece clareza na hora de se comparar entre os processadores da própria marca, e lá descobrimos que, na faixa de preço que buscamos, os melhores processadores são os da série Core Duo 2, e acima desta a série i3. Dentro dessas séries, temos vários modelos, cada um com características próprias, em especial o tamanho do cache L2 (que ajuda o processador nas operações, em especial quando ele está fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo) e sua frequencia (que seria uma forma de valor de velocidade). Na faixa do preço desejado, não compensa um micro com muito menos de 2GHZ de frequencia.

Veja a tabela dos processadores Intel para Notebook encontrados nessa faixa de preço, e saiba mais sobre suas diferenças:

http://www.intel.com/portugues/products/processor/core2duo/mobile/specifications.htm

http://www.intel.com/portugues/products/processor/corei3/mobile/specifications.htm

Se você utilizará programas complexos, editará imagens e ou vídeos, o processador é um fator importante.

  1. A memória RAM: O processador transfere as informações que utilizará ou que está utilizando em operações constantes para essa memória. Assim, ter memória RAM pode acelerar MUITO as operações do seu micro, especialmente se você usa várias janelas/programas/abas abertas ao mesmo tempo. Dentro do preço que buscamos, é possível encontrar notebooks com 3Gb com facilidade, e com 4Gb ainda com boa frequencia. Essas memórias garantirão um ótimo desempenho do micro. Além do tamanho da memória, é importante saber que elas possuem formas específicas de se comunicarem com o resto do computador, que faz com que as trocas de informação sejam mais ou menos rápidas. Dentre as possibilidades de hoje, é possível encontrar micros com memória DDR2 ou DDR3 – sendo a DDR3 melhor (mais rápida).

Se você usa muito os recursos multi-mídia do computador, assiste filmes, roda DVDs, ouve música enquanto navega e ainda mantém outros programas rodando, quanto mais memória (e quanto mais rápida ela for) melhor.

3. HD: O HD (Hard Disk) é a peça do seu laptop que armazena todas as informações fixas: seus arquivos pessoais, suas músicas, imagens, filmes, documentos, o sistema operacional, os programas de computador, enfim. Poderíamos dizer que o processador é o “raciocínio” da máquina, enquanto que o HD é sua memória (a memória RAM é usada pelo processador como intermédio entre o que está no HD e o que ele está processando no momento). O HD por dentro é mesmo um disco, como um DVD ou CD, só que grava e apaga quantas vezes quisermos, daí seu nome “hard disk” (Dísco Rígido).

Um HD poderoso garante grande armazenamento de dados, e boa taxa de transferência (a velocidade com que o processador consegue pegar as informações no HD para processa-las). A taxa de transferência nos laptops da categoria até R$1500,00 são praticamente padrão (5.400 rpm ou rotações por minuto), mas o tamanho dos mesmos varia grandemente. Algumas lojas vendem micros praticamente idênticos apenas com diferença do tamanho do HD – e nas entrelinhas isso pode dizer que o de HD maior é uma versão mais recente daquela marca, ou seja, só teve uma tecnologia a mais incorporada ao produto total. Tais micros costumam ter até o mesmo preço. Diria que na faixa de preço que buscamos, jamais deveria se aceitar um notebook com menos de 320Gb. É fácil, porém encontrar os de 500Gb, então porque pensar menor?

Se você guarda muita foto, coleciona música, guarda filme, etc., quanto maior seu HD melhor; Se por outro lado você não armazena praticamente nada no HD, então não ligue para isso, e faça desse critério um meio de arranjar micros mais baratos. Um HD menor ainda tem a vantagem de ser mais rápido para se fazer inspeções, e manutenções periódicas (desfragmentação, entre outras coisinhas).

  1. Tamanho e tipo de Tela: Parece mais fútil, ou “quase mais fútil”, mas não é. Uma tela de maior tamanho é melhor de visualizar, trabalhar, ou mesmo relaxar e assistir um filme. Contudo, toda tela tem um VIDRO, e o vidro da tela do notebook é uma das coisas que mais pesam em sua composição final. Assim, quanto mais portátil você quer seu micro, menor será sua tela. Por outro lado, quanto mais visualização você quer, maior será. Além do tamanho, também é preciso pensar que a forma como ela se ilumina modifica o consumo final de energia – o que na prática pode fazer uma bateria descarregar mais rápido. Hoje temos laptops com tela LCD comum e outros com LED, que é uma tecnologia mais econômica. Assim, laptops que oferecem telas iluminadas por LEDs devem ser preferidas. Na minha busca, preferi telas maiores. Mexo com imagens e por isso mesmo acabei optando por elas, deixando a questão do peso do vidro por conta do critério “peso” simplesmente. O tamanho de tela mínima na minha comparação, por isso mesmo, foi de 14”.

Mais sobre tipos de tela (útil para notebooks, monitores e Tvs):

http://monitordelcd.com/monitores/entenda-o-que-e-tft-lcd-tft-lcd-plasma-e-oled/

Quem carrega o micro de um lado para o outro, deve pensar em telas pequenas e do tipo LED. Quem não sai tanto de casa assim ou não abre mão de visualização buscará telas maiores, mas igualmente preferirá LED.

5. Sistema Operacional: Basicamente seu laptop ou vai vir com alguma versão do Linux ou do windows.

Linux sai de graça quando se compra um laptop; O Windows vai te custar pelo menos R$250,00 a mais no micro. Há casos em que um mesmo modelo/marca de computador é oferecido com Linux ou Windows, e a diferença fica em torno de algo entre R$250,00 e R$400,00, aproximadamente.

Linux é gratuito, e quem usa o sistema costuma baixar tudo o que é gratuito para ele. Linux não tem vírus! Linux pode ser bem rápido, e tem quase tudo o que o windows tem. QUASE. E nesse quase pode haver diferenças grandes dependendo dos programas que você mais utiliza. Uma dificuldade que sempre se teve e está melhorando em tempos recentes é a familiaridade (ou melhor, a falta de familiaridade) que se tem com ele. Ele não é tão intuitivo quanto o Windows; A forma de acessar os programas, de executa-los, a forma de resolver os problemas, etc. Não é tão rápido aprender a mexer com ele. Mas as maiores dificuldades com o Linux é que nem todos os programas que todo mundo usa no windows funciona no Linux e vice-versa, e muitos aparelhos externos não funcionarão tão facilmente no Linux como no windows também. Configurar coisas no Linux requer um pouquinho mais de traquejo. Se nada disso é problema para você, se você tem espírito aventureiro, cabeça aberta para aprender, e quer sentir-se bem mais seguro em relação a vírus e outras pragas, pense em comprar seu laptop MAIS BARATO por vir com Linux e ficar com ele na máquina!

Dentro das opções windows, os comerciantes ainda vendem máquinas com modelos fora de linha (Windows XP, windows Vista), mas nós temos hoje quatro opções atuais (em fabricação pela Microsoft): Windows 7 Home Basic, Windows 7 Home Premium, Windows 7 Professional e Windows 7 Ultimate. A lista está em ordem de complexidade e oferecimento de coisas. Para resumir, podemos dizer que para todo usuário doméstico a versão mais simples basta.

ATENÇÃO: Há no Brasil micros vendidos com o Windows 7 Starter, uma versão que os gringos da Microsoft fizeram SOMENTE PARA A AMÉRICA LATINA. É uma versão mais limitada e feita para baratear. NÃO VALE A PENA.

E se eu comprar o laptop com Linux e comprar o Windows a parte? Ótima ideia. Fiz uma pequena pesquisa, e pode mesmo valer a pena. Há opções a partir de R$220,00 mais ou menos. Só não compre gato por lebre: compre as versões atuais do Windows, que saberão lidar melhor com as máquinas novas. Além disso, se o preço do laptop com Linux + a compra do windows avulsa ficar muito parecida com a compra de um micro similar com Windows, nem pensar duas vezes, compre o Laptop prontinho, já com Windows. Isso poupará a instalação do sistema, que é chatinha, e suas melhores configurações requerem ainda algum conhecimento de informática.

  1. A marca: A marca hoje em dia importa menos. Mas ainda importa. Uma das arquiteturas mais premiadas no momento é a dos laptops LE NOVO, que na verdade são da IBM. Também conta a oferta de assistência técnica, e possíveis garantias. Mas sem dúvida, marca hoje é um critério muito menos importante que antigamente.
  2. Acessórios e extras: Se o laptop tem saída HDMI (para ligar ele na TV LCD), ganha ponto; Se oferece bluetooth (para por exemplo pegar fotos tiradas do celular por tecnologia sem fio), ganha também; Quase todos hoje têm leitor de cartões, mas se não tiver, perde ponto. Esses são os principais pontos extras que os laptops nessa faixa podem oferecer. Mas você ainda pode encontrar outros incrementos, como um leitor de digitais (assim você não precisa lembrar de sua senha e COM CERTEZA só você conseguirá acessar os dados pelas vias normais), ou com presentinhos como pen drives, mochilas para Laptops, roteadores, etc.
  3. Número de portas USB: Hoje em dia você tem muita coisa para conectar ao computador. Impressora, PALM, celular, câmera, receptores de TV, mouse, entre outros vários acessórios e formas de comunicar o micro com outros aparelhos. Menos que 3 saídas USB tornam o micro limitado! Assim, quanto mais USB melhor. Dentro da faixa de preço, conseguimos encontrar facilmente laptops com 3 saídas, mas dá para encontrar vários com 4. Aí é questão de ver se o preço dos com 3 versus as demais configurações saem mais em conta.
  4. Bateria: Seu computador é portátil, e essa é uma das principais características de um laptop. Porém, esse é um aspecto muito negligenciado na hora da compra. As baterias duram conforme os compostos a constituem, e também por seu número de células. Uma bateria “standard” seria de 6 células. Porém, a configurações de laptops bem simpáticas e com preços atrativos que escondem uma bateria de 4 ou mesmo 3 células – não dura nada! Claro que o quanto você conseguirá usar seu micro com ele fora da tomada varia de acordo com seu consumo geral de energia, os recursos que você estiver usando no momento, o tipo de tela, entre outros (por exemplo, se você estiver assistindo um DVD, o laptop gasta energia rodando o disco do DVD, emitindo o som, emitindo um brilho adequado para a função, etc. Isso tudo vai gastar a bateria muito mais rápido que você usando pouca luz e apenas acessando um documento de word, por exemplo). Em usos gerais, uma bateria de 6C (6 células) durará entre 1:30 e 2H. Então grave isso: Na hora de comprar baterias, é preciso pensar numa 6C no mínimo. Se você quiser ser bem minucioso, pode antes tentar descobrir quanto custa uma bateria avulsa do modelo de micro que você está visando, assim você já pode ver se no futuro (uma bateria dura entre 1 e dois anos dependendo do quanto você a use) aquele modelo compensa. Cá entre nós, não cheguei a ser “tão neurótico” assim… rsrs.
  5. Peso do aparelho: Vai andar com ele por aí? Quanto menos melhor. Só dentro de casa? Ah, relaxa, não use isso como critério. A diferença entre um aparelho de um quilo e meio e de três quilos só é sentida por quem vai realmente andar com ele nas costas, e muito (meu caso).
  6. Quanto aos aspectos comerciais: Como já dissemos, queremos o melhor laptop de até R$1500,00. Incluímos na seleção feita as melhores ofertas para micros que ficam próximos dos R$1.100,00 reais, contudo. As condições de compra variam, mas optamos por listar aqui apenas as ofertas onde se pode parcelar em 10 ou 12 x SEM JUROS. Temos micros com parcelas de R$99,00 até parcelas de 139,20, no máximo. Quanto a garantia, optamos pela garantia standard dos fabricantes – não conheci outro prazo que não fosse de um ano.

O TOP 8 da comparação segue abaixo:

TOP 

G

E

R

A

L

1 

2 

3 

.

3 

(empate)

4
1 TOP INTEL 

1 TOP CUSTO

BENEFÍCIO

1 TOP

WINDOWS

1 TOP LINUX 1 TOP TELÃO 1 TOP PREÇO
Marca QBEX QBEX Positivo Acer CCE
Mod. Atlas 6280 AS5741-7991 T45P
Loja Saraiva Walmart Shoptime Walmart Insinuante
R$ 1399 1298 1489,5 1498 1434
X 12x 

116,59

12x 

108,17

12x 

124,12

12x 

124,83

12x 

119,00

RAM 4gb 

DDR3

4gb 

DDR3

4gb 

DDR3

4gb 

DDR3

4gb 

DDR3

USB 4 4 3 3 3
HD 640 500 500 500 500
PROC I5 

 

I3 

370

2,2

I3 

350

2,27

I3 

350

I3 

330

2,13

PESO Kg 2,2 2,2 2,6 2
BATT. 6C ? 6C 6C
TELA 14,1” 

LED

14,1” 

LED

14” 

LED

15,6” 

LED

14”
S. O. W7H Linux W7P W7H W7P
ETC. HDMI 

Leitor

HDMI 

Leitor

Leitor 

HDMI

Btooth

Leitor 

HDMI

Leitor 

HDMI

Mochila

TOP 

G

E

R

A

L

5 6 7 8
1 

TOP PREÇO COM WINDOWS 7

Marca CCE Lenovo QBEX IntBras
Mod. D45L G460 I553
Loja Insinuante Ctis Extra mm.com
R$ 1187 1287 1259 1199
X 10x 

118,70

12x 

116,58

12x 

104,00

12x 

99,92

RAM 4Gb 

DDR3

3Gb 

DDR3

4gb 

DDR3

4Gb DDR2
USB 3 3 4 3
HD 500 320 500 500
PROC I3 

330

2,13

 

I3 

370

2,4

C2D 

T5850

2,16

C2D 

T6500

2,1

PESO Kg 2,1 2,2 2,2 2,2
BATT. 4C 6C 6C 6C
TELA 14” 

LED

14” 14,1” 14.1”
S. O. Linux W7H Linux Linux
ETC. Leitor 

HDMI

Leitor 

HDMI

Btooth

V.face

Leitor Leitor

Legenda

C2D – Core 2 Duo

Leitor – possui leitor de cartões

Proc – Modelo do processador, seguido do sub-tipo e da frequencia em giga-hertz (ghz)

W7H – Windows 7 home basic

W7P – Windows 7 Premium

V.face – Sistema veriface, que pode analisar o rosto da pessoa e usar isso como senha e para te mostrar cada um que tentou entrar no seu computador.

Imbatível neste quesito

Ponto fraco

Comentários***:

Sem dúvida a surpresa do ano é a QBEX, que oferece excelente relação custo benefício e emplaca dois laptops no topo da lista. A QBEX já figurava no início de 2009 como uma das 6 maiores do mercado, e mostra que só vai crescer. Concorrência acirrada com a POSITIVO, a maior fabricante nacional, que faz de 2010 sua consolidação como líder de vendas no país e mantém relação custo-benefício excepcional. Muitos de seus modelos poderiam estar na lista, a frente dos ACERS que só entram por figurarem boas configurações AMD, por exemplo. A configuração do Positivo 6280 x seu preço é tão boa que não pude desclassifica-lo mesmo tendo sido IMPOSSÍVEL descobrir, fosse no site do fabricante, fosse em qualquer outro que tipo de bateria alimenta esse notebook. Fosse qualquer outro teria sido excluído sumariamente. Boas surpresas com a CCE e com a Intelbras que continuam com suas políticas de equilíbrio entre preço e qualidade, e tiveram vários aparelhos candidatos a vaga do TOP 8. Finalmente, é bom vermos no TOP 8 a presença de uma marca forte, ligada a ELITE do mundo da informática – o Le Novo. Gostaríamos de ter tido a presença da Dell aqui, que perde por muito pouco na relação custo-benefício em relação aos outros, e mesmo a Sony, que apareceu no mercado com boas configurações x preço com seus modelos Vaio. Modelos da TOSHIBA também foram fortes candidatos a lista, bem como os Itautecs, só desclassificados nos descontos do segundo tempo. Se houvesse um nono lugar estaria ainda disputando a Microboard, que não pode deixar de ser mencionada como marca que também vem para se firmar. Ela tem configurações muito interessantes, especialmente seu U342. Mas tenha poucas dúvidas, esses aparelhos aí em cima tem as melhores relações custo-benefício HOJE.

Onde cotei os preços

Minhas pesquisas se baseiam em sites que buscam lojas eletrônicas e comparam seus preços, e algumas grandes lojas que não participam dessas ferramentas de busca comparada de preços. Caso queiram pesquisar por si mesmos, não deixem de conferir:

www.bondfaro.com.br

www.buscape.com.br

www.shoppinguol.com.br

Outros sites do gênero foram pesquisados ao longo desse tempo, mas oferecem muito poucas opções de filtragem de opções, e alguns tem pouquissimas lojas cadastradas, de modo que não recomendo:

www.economiza.com.br

www.jacotei.com.br

www.catapreco.com.br

www.eucomparo.com

http://www.izideal.com.br/

www.zura.com.br

http://www.terraofertas.com.br/comparador/Informatica/

http://www.shopbot.com.br

http://www.twenga.com.br

http://www.cotacota.com.br/

http://vendeatemae.com/Portal/Busca.aspx?subCat=61

www.precomania.com

www.boadica.com.br

http://igshopping.ig.com.br/d/591/computadores+e+notebooks.html

Pesquisei ainda alguns sites que não tem suas ofertas listadas, ou eu não as encontrei nos comparadores, ou enfim (esses são alguns exemplos, eu estive em muitos outros):

www.walmart.com.br

www.extra.com.br

www.ebit.com.br

www.submarino.com.br

www.saraiva.com.br

http://www.mercadaodainformatica.com.br/

Pesquisei mas não listei aqui produtos vendidos por particulares em sites como www.mercadolivre.com.br, www.vendendotudo.com e outros. Garantia de loja e de fábrica é cosa que geralmente tais vendedores não podem oferecer. Existe ainda a questão da confiança – nos próprios sites há alertas de usuários que foram vítimas de embustes. Mas os preços algumas vezes são realmente tentadores…

Bem meus amigos leitores, espero que meu trabalho de muitas horas e dias tenha sido útil a todos aqueles que desejam adquirir um laptop até R$1500,00 em condições de pagamento e configurações especiais. Ficarei feliz com seu comentário no meu site, e peço especialmente que, caso saiba de alguma oferta que bata os que aqui estão, coloque nos comentários, verificarei e tentarei manter o TOP 8 atualizado ok! Também agradeço quando souberem alteração de preço ou fim da venda de qualquer um desses modelos.

Um abraço,

Arnaldo V. Carvalho

* TOP 8 é minha OPINIÃO PARTICULAR acerca dos notebooks encontrados no mercado hoje em dia, e tal opinião é baseada na minha PESQUISA comparativa, usando os critérios mencionados acima. Não recebo absolutamente nada, não tenho qualquer tipo de benefício divulgando os dados de minha pesquisa e minha opinião. Grato.

** Arnaldo V. Carvalho é terapeuta, mas encara os problemas do próprio micro. É criador e administrador dos sites e blogs:

http://www.calorhumano.com.br e calorhumano.wordpress.com

http://www.aromatologia.com.br e aromatologia.wordpress.com

http://www.shiatsuemocional.com.br shiatsuemocional.wordpress.com

http://www.portalverde.com.br e portalverde.wordpress.com e

http://www.arnaldovcarvalho.com e arnaldovcarvalho.com

*** Os comentários do Prêmio TOP8 se baseiam no texto original, que foi publicado no dia 29 de dezembro de 2010 com o primeiros TOP 8.

*** O AUTOR AUTORIZA PREVIAMENTE A CÓPIA E DIVULGAÇÃO DE SEU ARTIGO, PEDINDO APENAS QUE CITE A FONTE ***

Read Full Post »

RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987)

Read Full Post »

REPRODUÇÃO DESTE TEXTO É PERMITIDA EM SUA INTEGRALIDADE, SEMPRE SENDO CITADA AUTORIA E FONTE. GRATO.

Em junho deste ano, escrevi essa pequena historinha de Alice, só para divertir minhas filhas e a mim mesmo. Dedico a todas as almas eternamente jovens como a da Anna Carola Lua Cheia (Feliz Niver Atrasado Anna!) , e em especial a duas mocinhas, Olívia e Evelyn, minhas amigas encantadoras pelo que já são, e que muito combinam com cogumelos que crescem e encolhem e deliciosos bules e xícaras mastigáveis.


Alice e os Chapéus

Por Arnaldo V. Carvalho*

Ilustrações de Malu Carvalho **

No primeiro dia, o Chapeleiro Louco recebeu Alice em sua nova loja de chapéus. Como se não a conhecesse, virou as costas certo de que a menina o seguiria. Enquanto passeava por chapéus de cores, tamanhos e formas diferentes, ia descrevendo as múltiplas particularidades de cada um.

Três horas depois, ao final do último corredor, Alice trôpega de cansada mas sem ânimo para interromper a fala incessante da psicodélica persona. Vira-se o chapeleiro e pergunta à jovem:

– Então, gostou de algum?

– Pra falar a verdade, sim.

– Qual?

O primeiro, que está na sua cabeça. – Alice sorri com um gesto matreiro.

– Esse aqui? Oh, oh! Não, não não não, não não! Esse aqui é muito grande para você.

– Como? És menor que eu! Deve caber perfeitamente em mim.

Com um rápido gesto Alice estende o braço e passa a cartola do Chapeleiro para sua própria cabeça. O chapéu magicamente alonga-se, encobrindo Alice completamente. “socorro! Não posso ver nada! Solte-me daqui!”. E tão logo gritou, tão logo viu a luz novamente, pois o chapéu fora retirado e já estava de volta a cabeça de seu dono.

No segundo dia, após o chá com a Lebre Maluca de Março, Alice retorna a loja de chapéus.  Chapeleiro está terminando um novo projeto de chapéu, e ao ver Alice se aproximar, interrompe a admiração por seu próprio invento, ergue os olhos e pergunta:

– Vamos conhecer os chapéus da loja?

– Chapeleiro! – diz Alice em tom repreensivo. – leve-me de uma vez até os melhores chapéus; não quero saber de ficar horas vendo todas as suas criações. Quero somente as mais belas e inspiradas. Aliás, caro senhor, se quer me presentear com outro chapéu, dê-me logo o melhor deles.

Os olhos do Chapeleiro Louco brilharam, e num piscar ele se ergueu e rodopiou pelos corredores, guiando Alice numa dança rápida em direção a mais alta das prateleiras:

Veja, ali está o melhor!!!! – E, apertando um sapo que dormia sobre um pequeno chapéu-coco em cima de uma prateleira próxima, o chapeleiro derruba uma caixa branca com a língua do batráquio, que forçosamente chicoteara o ar. Dispensa-o para imediatamente ter a caixa nas mãos. A caixa era grande, arredondada, com acabamento e estilo “casca de ovo”. Em sua tampa, letras douradas estampavam: “O MELHOR”.

Ao invés de chapéu, a caixa abrigava uma larga folha de Vitória Régia, que flutuava por sobre um líquido próximo da água em aparência (bem, talvez fosse). E dessa vez é Chapeleiro que então o pega e coloca de pronto na cabeça de Alice, sem haver tempo para quaisquer reações; Os cabelos de Alice agora estavam molhados, e a menina exclama furiosa:

Isso NÃO É UM CHAPÉU!!!!

Sem dar ouvidos, o chapeleiro sorridente entrelaça seus dedos próximo do rosto e grita:

Estupendo! Estupendo!!! Espera! Não! É mesmo! Ainda não é o chapéu!!

– Quanto mais melhor do mundo – confirma Alice.

– É mesmo, falta algo.. Ah, já sei!

Chapeleiro então olha em volta e localiza o sapo antes espremido, a espreitar por um cantinho da estante; movimenta  os olhos para apontar a Vitória Régia, e imediatamente o anfíbio salta para a cabeça de Alice, ajeitando-se com alegria na folha.

Pronto, agora está perfeito! – diz o Chapeleiro Louco com os olhos a brilhar.

https://i2.wp.com/img192.imageshack.us/img192/6505/tiposchapeu.jpgNo terceiro dia, Alice não queria visitar a loja de chapéus. Foi preciso um esforço por parte da Lebre de Março, que prometera a Alice convencer os irmãos Tweedle a lhe contar uma nova história. Afinal de contas, segundo a lebre, não se poderia perder a inauguração da loja do chapeleiro.

 

Inauguração? Mas a loja já estava aberta há pelo menos dois dias antes!

– Mariana! Tenha Paciência! É a inauguração do terceiro dia da loja!

Precavida, dessa vez Alice resolveu chegar usando uma Garça-guarda-chuva, que é para nenhum chapéu-de-folha-e-sapo ser colocado à revelia na sua cabeça. Mas parece que as garças-guarda-chuvas não gostam de lojas de chapéus, de modo que ao descobrir-se na entrada do estabelecimento, a que Alice trouxera consigo arregalou os olhos e bateu suas asas fortemente, livrando-se da dona e voando para longe. À Alice coube acompanhar, muda e decepcionada, o vôo de seu guarda-chuva até que este desaparecesse pelos céus. Com resígnio, entra a mocinha na loja em habitual clima de suspense e curiosidade que, dentro do coração de Alice, ela adorava. Por fora, porém, a menina mostrou-se brava antes do primeiro oi.

Chapeleiro! Hoje não quero experimentar seus chapéus, ouviu bem?

– Bom dia, Alice! Veio para a inauguração do meu terceiro-dia-de-Alice-na-minha-loja! Que bom! Há chapéus por todo lado!

– Isso eu já sei. – diz a menina, presunçosa e com ares de cansada de tanta redundância.

O chapeleiro muda o tom:

Entrou na loja sem seu chapéu preferido. Isso é muito rude! Muuuito rude!!!

– SEU chapéu preferido, quer dizer.

Vamos ter que encontrar outro, de certo. De certo que sim – O chapeleiro sorri enquanto aperta a língua em seu olhar de quem tem os parafusos da cabeça fora do lugar.

Aqui a menina perde os modos:

Seu maluco! Se quer me apresentar a um chapéu verdadeiramente belo, deve me perguntar antes de tentar coloca-lo na minha cabeça!

Alice não simplesmente disse isso. Disse brava, quase que puxando o velho chapeleiro pelo colarinho. Surpreso, sua loucura fora ameaçada pela primeira vez na vida, ou pelo menos, na vida de Alice. E ele adorou!

Temos uma moça decidida! São as melhores! Clientes perfeitas! Sabem o que querem! E eu.. eu encontrarei a melhor opção! SIM!

 

Chapeleiro Maluco pôs-se a dançar e cantarolar um velho folk irlandês:

 

(Ouça a música aqui, antes de continuar a história!):

 

 

What will we do if the kettle boils over

What will we do only fill it again

What will we do if the cow eats the clover

What will we do only set it again

The preaties are dug

And the frost is all over

Kitty lie over close to the wall

How would you like to be married to a solider

Kitty lie over close to the wall

What would you do if you married a soldier

What would you do only follow his gun

What would you do if he died in the ocean

What would you do only marry again

The preaties are dug

And the herrings are roasted

Kitty lie over close to the wall

You to be drunk and me to be sober

Kitty lie over close to the wall

What will we do if the kettle boils over

What will we do only fill it again

What will we do if the cow eats the clover

What will we do only set it again

The preaties are dug

And the frost is all over

Kitty lie over close to the wall

How would you like to be married to a solider

Kitty lie over close to the wall

Segurava Alice pelos braços, cuja alma musical a fez seguir o ritmo da canção; mas, visto que o Chapeleiro não parava de repeti-la – e poderia mesmo passar horas e horas sem perder o tom ou o rebolado – Alice toma uma atitude drástica. Ainda dançando, aproxima-se do chapeleiro e lhe fecha a boca com uma das mãos, dizendo:

Vamos aos chapéus?

– Mas isso é muito rude! Muuuuito rude!!!

– Ora, desculpe. – recua Alice com um começo de arrependimento – Não queria tapar sua boca, mas afinal, já havíamos dançado tant…

Interrompida antes que pudesse completar sua frase, Alice escutou o chapeleiro:

 

É muito rude não mostrar suas preferências de chapéu a um chapeleiro!

– Mas… mas…

– Diga-me, senhorita, o que vai  querer?

– É…

– Senhorita, não tenho muito tempo!

– Eu..

– Ora essa, vi que não está bem disposta. Volte amanhã!

– Amanhã não!

– Então o que vai querer???

– Um chapéu.

– Mas que tipo de chapéu? Parece louca!

– Louca? Eu??

– Chapéu de loooucos!!!! – gritou o Chapeleiro para dentro da loja, como se algum assistente lhe viesse prestar serviço. – Oh, a Lebre foi à festa do chá!

 

Chapeleiro Maluco transfigura-se novamente, como se o fato da lebre ter ficado na festa do chá tivesse feito-o perceber que estava sozinho a tocar à loja, e teria que dar conta de sua cliente sozinho. Caindo quase em si (o Chapeleiro nunca cai em si, apenas quase em si), resolve que perguntar à Alice sobre suas preferências seria o mais adequado.

Oh sim, sim, sim. Vamos aos chapéus.

 

E amavelmente, embora não sem os olhos torcidos próprios dos loucos, pergunta:

 

Então, o que vai querer? Temos chapéus com abas, alvanegas, bandanas, barretes e barretinas, bicórnios, bibicos, boinas e bonés, borsainos, camauros, camelaucos, capelos, carapuças e gorros, cartolas e casquetes, chapéus-panamá, de cozinheiro ou bombeiro, stetson, com coroa, fedoras, pétasos, píleos quepes, diademas, colbaques, claques, solidéus, toucas e turbantes, ushankas e sombreros. De toureiro, com fivelas, plumas, estrelas e luas; chapéus em couro, feltro, mas também colmeia de vespas, sementes de linho, tricô, juta, palha, metal, pele animal. Há chapéus com lantejoulas, abaulados, listrados, resistentes, macios, com peruca, com pena de pavão, coloridos ou lisos, enrugados, para usar de lado, altos e baixos. Penas de lado, de frente, por todo o lado. Chapéus, abas, com orelheiras, cinteiras, à zamparina, palas frontais, egretes…

Atordoada, Alice se ateve a simplificar sua preferência, a despeito de nunca ter ouvido falar que havia tantos tipos de chapéu e adereços:

Bem, gosto de chapéus leves.

– Leves? Com plumas? Couro de besouro-do-atlântico? Asas de andorinha? Que tal esse? E esse? E esse?

– Humm. Nada muito grande.

– Com abas? Você sabe, nunca se sabe.

– Não, chapéus com abas me complicam a fronte

– Sem abas, sem palas. Tente esse de penas de corvo-de-escrivaninha.

– Prefiro cores claras..

– Cores claras! Cores claras! – o chapeleiro então tira de dentro de uma caixa ovalada um chapéu no formato de ovo frito.

– Aqui está!

– Não, não, Chapeleiro! Me refiro a tons suaves.

– Você disse cores claras e não tons suaves! Afinal, que tipo de chapéu você quer?

(…)

 

* Arnaldo V. Carvalho, escritor e terapeuta, é autor do livro “Shiatsu Emocional” e “O Tao do Corpo”. Adora escrever e criar coisas para crianças, incluindo sua criança interior.

** Malu Carvalho é ilustradura, argumentista, fotógrafa, escritora, cineasta, dançarina, cantora, pintora, colorista, cozinheira, e o que mais lhe der na telha. Sua obra mais famosa na Internet é o clássico do Youtube “A Vida do Macaco”, piloto de uma de suas histórias, filmado pela mesma aos 5 anos.

REPRODUÇÃO DESTE TEXTO É PERMITIDA EM SUA INTEGRALIDADE, SEMPRE SENDO CITADA AUTORIA E FONTE. GRATO.

 

Alice e os Chapéus

 

Arnaldo V. Carvalho

 

 

No primeiro dia, o Chapeleiro Louco recebeu Alice em sua nova loja de chapéus. Como se não a conhecesse, virou as costas certo de que a menina o seguiria. Enquanto passeava por chapéus de cores, tamanhos e formas diferentes, ia descrevendo as múltiplas particularidades de cada um.

 

Três horas depois, ao final do último corredor, Alice trôpega de cansada mas sem ânimo para interromper a fala incessante da psicodélica persona. Vira-se o chapeleiro e pergunta à jovem:

 

– Então, gostou de algum?

 

– Pra falar a verdade, sim.

 

– Qual?

 

  • O primeiro, que está na sua cabeça. – Alice sorri com um gesto matreiro.

  • Esse aqui? Oh, oh! Não, não não não, não não! Esse aqui é muito grande para você.

  • Como? És menor que eu! Deve caber perfeitamente em mim.

 

Com um rápido gesto Alice estende o braço e passa a cartola do Chapeleiro para sua própria cabeça. O chapéu magicamente alonga-se, encobrindo Alice completamente. “socorro! Não posso ver nada! Solte-me daqui!”. E tão logo gritou, tão logo viu a luz novamente, pois o chapéu fora retirado e já estava de volta a cabeça de seu dono.

 

No segundo dia, após o chá com a Lebre Maluca de Março, Alice retorna a loja de chapéus. Chapeleiro está terminando um novo projeto de chapéu, e ao ver Alice se aproximar, interrompe a admiração por seu próprio invento, ergue os olhos e pergunta:

 

– Vamos conhecer os chapéus da loja?

– Chapeleiro! – diz Alice em tom repreensivo. – leve-me de uma vez até os melhores chapéus; não quero saber de ficar horas vendo todas as suas criações. Quero somente as mais belas e inspiradas. Aliás, caro senhor, se quer me presentear com outro chapéu, dê-me logo o melhor deles.

 

Os olhos do Chapeleiro Louco brilharam, e num piscar ele se ergueu e rodopiou pelos corredores, guiando Alice numa dança rápida em direção a mais alta das prateleiras:

 

  • Veja, ali está o melhor!!!! – E, apertando um sapo que dormia sobre um pequeno chapéu-coco em cima de uma prateleira próxima, o chapeleiro derruba uma caixa branca com a língua do batráquio, que forçosamente chicoteara o ar. Dispensa-o para imediatamente ter a caixa nas mãos. A caixa era grande, arredondada, com acabamento e estilo “casca de ovo”. Em sua tampa, letras douradas estampavam: “O MELHOR”.

 

Ao invés de chapéu, a caixa abrigava uma larga folha de Vitória Régia, que flutuava por sobre um líquido próximo da água em aparência (bem, talvez fosse). E dessa vez é Chapeleiro que então o pega e coloca de pronto na cabeça de Alice, sem haver tempo para quaisquer reações; Os cabelos de Alice agora estavam molhados, e a menina exclama furiosa:

 

  • Isso NÃO É UM CHAPÉU!!!!

 

Sem dar ouvidos, o chapeleiro sorridente entrelaça seus dedos próximo do rosto e grita:

  • Estupendo! Estupendo!!! Espera! Não! É mesmo! Ainda não é o chapéu!!

  • Quanto mais melhor do mundo – confirma Alice.

  • É mesmo, falta algo.. Ah, já sei!

 

Chapeleiro então olha em volta e localiza o sapo antes espremido, a espreitar por um cantinho da estante; movimenta os olhos para apontar a Vitória Régia, e imediatamente o anfíbio salta para a cabeça de Alice, ajeitando-se com alegria na folha.

 

  • Pronto, agora está perfeito! – diz o Chapeleiro Louco com os olhos a brilhar.

 

 

No terceiro dia, Alice não queria visitar a loja de chapéus. Foi preciso um esforço por parte da Lebre de Março, que prometera a Alice convencer os irmãos Tweedle a lhe contar uma nova história. Afinal de contas, segundo a lebre, não se poderia perder a inauguração da loja do chapeleiro.

  • Inauguração? Mas a loja já estava aberta há pelo menos dois dias antes!

  • Mariana! Tenha Paciência! É a inauguração do terceiro dia da loja!

 

Precavida, dessa vez Alice resolveu chegar usando uma Garça-guarda-chuva, que é para nenhum chapéu-de-folha-e-sapo ser colocado à revelia na sua cabeça. Mas parece que as garças-guarda-chuvas não gostam de lojas de chapéus, de modo que ao descobrir-se na entrada do estabelecimento, a que Alice trouxera consigo arregalou os olhos e bateu suas asas fortemente, livrando-se da dona e voando para longe. À Alice coube acompanhar, muda e decepcionada, o vôo de seu guarda-chuva até que este desaparecesse pelos céus. Com resígnio, entra a mocinha na loja em habitual clima de suspense e curiosidade que, dentro do coração de Alice, ela adorava. Por fora, porém, a menina mostrou-se brava antes do primeiro oi.

 

  • Chapeleiro! Hoje não quero experimentar seus chapéus, ouviu bem?

  • Bom dia, Alice! Veio para a inauguração do meu terceiro-dia-de-Alice-na-minha-loja! Que bom! Há chapéus por todo lado!

  • Isso eu já sei. – diz a menina, presunçosa e com ares de cansada de tanta redundância.

 

O chapeleiro muda o tom:

 

  • Entrou na loja sem seu chapéu preferido. Isso é muito rude! Muuuito rude!!!

  • SEU chapéu preferido, quer dizer.

  • Vamos ter que encontrar outro, de certo. De certo que sim – O chapeleiro sorri enquanto aperta a língua em seu olhar de quem tem os parafusos da cabeça fora do lugar.

 

A menina perdeu os modos:

  • Seu maluco! Se quer me apresentar a um chapéu verdadeiramente belo, deve me perguntar antes de tentar coloca-lo na minha cabeça!

 

Alice não simplesmente disse isso. Disse brava, quase que puxando o velho chapeleiro pelo colarinho. Surpreso, sua loucura fora ameaçada pela primeira vez na vida, ou pelo menos. na vida de Alice. E ele adorou!

 

  • Temos uma moça decidida! São as melhores! Clientes perfeitas! Sabem o que querem! E eu.. eu encontrarei a melhor opção! SIM!

 

Chapeleiro Maluco pôs-se a dançar e cantarolar um velho folk irlandês:

 

What will we do if the kettle boils over

What will we do only fill it again

What will we do if the cow eats the clover

What will we do only set it again

The preaties are dug

And the frost is all over

Kitty lie over close to the wall

How would you like to be married to a solider

Kitty lie over close to the wall

 

What would you do if you married a soldier

What would you do only follow his gun

What would you do if he died in the ocean

What would you do only marry again

The preaties are dug

And the herrings are roasted

Kitty lie over close to the wall

You to be drunk and me to be sober

Kitty lie over close to the wall

 

What will we do if the kettle boils over

What will we do only fill it again

What will we do if the cow eats the clover

What will we do only set it again

The preaties are dug

And the frost is all over

Kitty lie over close to the wall

How would you like to be married to a solider

Kitty lie over close to the wall

 

(Ouça a música aqui, antes de continuar a história!):

 

 

Segurava Alice pelos braços, cuja alma musical a fez seguir o ritmo da canção; mas, visto que o Chapeleiro não parava de repeti-la – e poderia mesmo passar horas e horas sem perder o tom ou o rebolado – Alice toma uma atitude drástica. Ainda dançando, aproxima-se do chapeleiro e lhe fecha a boca com uma das mãos, dizendo:

 

  • Vamos aos chapéus?

  • Mas isso é muito rude! Muuuuito rude!!!

  • Ora, desculpe. – recua Alice com um começo de arrependimento – Não queria tapar sua boca, mas afinal, já havíamos dançado tant…

 

Interrompida antes que pudesse completar sua frase, Alice escutou o chapeleiro:

  • É muito rude não mostrar suas preferências de chapéu a um chapeleiro!

  • Mas… mas…

  • Diga-me, senhorita, o que vai querer?

  • É…

  • Senhorita, não tenho muito tempo!

  • Eu..

  • Ora essa, vi que não está bem disposta. Volte amanhã!

  • Amanhã não!

  • Então o que vai querer???

  • Um chapéu.

  • Mas que tipo de chapéu? Parece louca!

  • Louca? Eu??

  • Chapéu de loooucos!!!! – gritou o Chapeleiro para dentro da loja, como se algum assistente lhe viesse prestar serviço. – Oh, a Lebre foi à festa do chá!

    Chapeleiro Maluco transfigura-se novamente, como se o fato da lebre ter ficado na festa do chá tivesse feito-o perceber que estava sozinho a tocar à loja, e teria que dar conta de sua cliente sozinho. Caindo quase em si (o Chapeleiro nunca cai em si, apenas quase em si), resolve que perguntar à Alice sobre suas preferências seria o mais adequado.

  • Oh sim, sim, sim. Vamos aos chapéus.

    E amavelmente, embora não sem os olhos torcidos próprios dos loucos, pergunta:

  • Então, o que vai querer? Temos chapéus com abas, alvanegas, bandanas, barretes e barretinas, bicórnios, bibicos, boinas e bonés, borsainos, camauros, camelaucos, capelos, carapuças e gorros, cartolas e casquetes, chapéus-panamá, de cozinheiro ou bombeiro, stetson, com coroa, fedoras, pétasos, píleos quepes, diademas, colbaques, claques, solidéus, toucas e turbantes, ushankas e sombreros. De toureiro, com fivelas, plumas, estrelas e luas; chapéus em couro, feltro, mas também colmeia de vespas, sementes de linho, tricô, juta, palha, metal, pele animal. Há chapéus com lantejoulas, abaulados, listrados, resistentes, macios, com peruca, com pena de pavão, coloridos ou lisos, enrugados, para usar de lado, altos e baixos. Penas de lado, de frente, por todo o lado. Chapéus, abas, com orelheiras, cinteiras, à zamparina, palas frontais, egretes…

 

Atordoada, Alice se ateve a simplificar sua preferência, a despeito de nunca ter ouvido falar que havia tantos tipos de chapéu e adereços:

 

  • Bem, gosto de chapéus leves.

  • Leves? Com plumas? Couro de besouro-do-atlântico? Asas de andorinha? Que tal esse? E esse? E esse?

  • Humm. Nada muito grande.

  • Com abas? Você sabe, nunca se sabe.

  • Não, chapéus com abas me complicam a fronte

  • Sem abas, sem palas. Tente esse de penas de corvo-de-escrivaninha.

  • Prefiro cores claras..

  • Cores claras! Cores claras! – o chapeleiro então tira de dentro de uma caixa ovalada um chapéu no formato de ovo frito.

  • Aqui está!

  • Não, não, Chapeleiro! Me refiro a tons suaves.

  • Você disse cores claras e não tons suaves! Afinal, que tipo de chapéu você quer?

 

(…)

Ej

Read Full Post »

“Me sinto derrotado apenas quando encontro um ser humano com quem não possa aprender nada”.

(Provérbio Oriental)

Read Full Post »

ImageShack, share photos, pictures, free image hosting, free video hosting, image hosting, video hosting, photo image hosting site, video hosting site

Read Full Post »

Simples. Eu gosto.

Read Full Post »

Older Posts »

%d bloggers like this: